46ª Missa do Vaqueiro de Serrita é marcada por fé e emoção

Missa do Vaqueiro de Serrita (Foto: Reprodução/ TV Grande Rio)

 

 

A 46ª edição da Missa do Vaqueiro de Serrita, no Sertão pernambucano, lotou mais uma vez o Parque Nacional do Vaqueiro neste domingo (24). O evento é tradicional e começou após a morte de um vaqueiro famoso na região, que se chamava Raimundo Jacó. Um evento marcado pela fé que emocionou o homem forte do Sertão.

“Vaqueiro é um homem de fé, um homem de força, de coragem e de luta para lutar com a seca que estamos vivendo”, ressaltou o vaqueiro, Francisco Dias Paulo. Vestidos com gibão, perneiras, luvas e chapéu de couro, bem característicos dos vaqueiros, eles acompanharam o culto montados a cavalo e levaram alguns artigos para serem abençoados durante a celebração.

A missa foi celebrada pelo bispo da Paróquia Nossa Senhora da Conceição, da Diocese de Salgueiro, também no Sertão do estado, Dom Magnus. Também participaram da celebração os cantor Josildo Sá e Chambinho do Acordeon, além do Coral Aboios.

De acordo com o fundador da Missa do Vaqueiro, Pedro Bandeira, o evento tornou-se uma tradição e é um dos mais importantes do calendário cultural de Pernambuco. “Estamos colhendo os frutos que plantamos da fé, da humildade, da serenidade, da simplicidade, da pobreza e da bondade e da riqueza de espírito de Raimundo Jacó”, disse Pedro Bandeira.

“É uma emoção de estar aqui na Missa do Vaqueiro e ver a nossa gente resgatar a cultura que é nossa. Ver nossos amigos de longe e estar sempre resgatando a cultura mesmo debaixo de sol”, disse, emocionado, o vaqueiro Francisco Cordeiro. (G1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>