Adolescente sofre estupro coletivo dentro da Casem em PE, diz polícia

Estupro aconteceu dentro da Casem de Caruaru, unidade ligada à Funase, diz políci (Foto: Anderson Melo/TV Asa Branca)

 

 

 

Um adolescente de 17 anos foi vítima de estupro coletivo na madrugada da terça-feira (4) dentro da Casa de Semiliberdade (Casem) de Caruaru, no Agreste de Pernambuco. A unidade é ligada à Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase). O delegado do caso, Luiz Bernardo, disse que seis pessoas são suspeitas de cometer o crime. “Eles [os suspeitos] negam, mas a vítima reconheceu todos”, disse. Tanto o grupo de infratores quanto a vítima do estupro eram internos da unidade. O caso foi divulgado nessa quinta-feira (06).

Por meio de nota, a assessoria de imprensa da Funase informou que um adolescente da Casa de Semiliberdade (Casem) Caruaru relatou ter sido estuprado por outros seis jovens assistidos pela unidade. Segundo a vítima, o fato aconteceu após a ronda noturna da Casem. “Após tomar conhecimento do caso, a coordenação da unidade tomou todas as medidas necessárias encaminhando o jovem a uma unidade hospitalar, para realização de exames e atendimento necessários”, destacou.

A assessoria da Funase ainda informou que “os socioeducandos acusados de cometer o ato foram identificados e, também, transferidos para outras casas da Fundação”.

O delegado Luiz Bernardo ainda destacou que dos seis suspeitos, dois são maiores de idade e quatro são menores. De acordo com a Polícia Militar, há um infrator de 15 anos, três de 17, um de 19 e outro de 20 anos. “Os menores devem ser levados para a Funase e os maiores para uma unidade prisional”, detalhou o delegado.

Por telefone, o G1 conversou com o juiz Rommel Patriota, da vara da Infância e Juventude. Ele explicou que os suspeitos e a vítima estavam cumprindo uma medida de semiliberdade e que eles sofreram uma regressão.

“O Estatuto da Criança e do Adolescente prevê este tipo de medida socieducativa para infratores de até 21 anos. Os maiores envolvidos no crime sofreram uma regressão. Eles passaram da semiliberdade para a internação. Mas, isso não impede que a Justiça julgue eles responsáveis. Eles podem ir para uma unidade prisional”, explicou o juiz.

Rommel Patriota ainda acrescentou que a vítima passou por exames e que a localização dela ficará em segredo de justiça. “Foram tomadas todas as providências, mas os detalhes não serão repassados por questão de segurança”, afirmou.

Por e-mail, a Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude de Pernambuco informou que na Casem, os alunos saem para estudar e depois voltam. No local, “há cursos esporádicos de operador de computador, artesanato, robótica, costura, frentista, marcenaria, auxiliar de agropecuária, padeiro, gesseiro, fotografia. Há atividades culturais, apresentações musicais, comemorações de datas festivas, eventos religiosos, palestras, diálogos de conscientização e reuniões com familiares”, segundo a assessoria do órgão.

A assessoria da secretaria ainda disse que há dois programas socioeducativos voltados para jovens que estão o que já saíram da Funase: o “Vida Aprendiz”, que contempla jovens que estão em cumprimento de medida socioeducativa e também os jovens que já saíram da Funase, e o “Novas Oportunidades”, para jovens que saíram da Fundação Socioeducativa.

O objetivo da Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude de Pernambuco é inserir os jovens em órgãos públicos, ou empresas privadas, como aprendizes. (G1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *