Homem é assassinado na zona rural de Arcoverde, no Sertão de PE

Um homem de 30 anos foi morto a tiros no último sábado (17), no Sítio Soares, zona rural de Arcoverde, no Sertão de Pernambuco. Segundo a Polícia Militar, ele estava em casa com a esposa, quando os suspeitos entraram e realizaram os disparos.

Ainda de acordo com a PM, a vítima foi atingida por mais de um tiro e estava em regime condicional há dois meses. Ainda não existem detalhes sobre a autoria e a motivação do crime. O caso será investigado pela Polícia Civil. (G1)

Polícia Militar aposta na parceria com as famílias em Serra Talhada

 

 

 

 

Na última sexta-feira (16) na escola municipal Vicente Inácio de Oliveira, no bairro Mutirão, o 2° Sgt PMPE J. Coelho participou de um encontro com a família dos alunos daquela instituição de ensino.

A reunião teve como objetivo informar aos pais ou responsáveis que seus filhos estão fazendo o Programa Educacional de Resistência às Drogas (PROERD) e que o Programa só terá sucesso se houver uma ação conjunta entre a Polícia Militar, a escola e a família no sentido de prevenir o uso de drogas e a violência entre os estudantes.

O 14º BPM (Batalhão de Polícia Militar) faz através do PROERD uma interação com as comunidades, procurando levar através dos jovens a cultura pela ordem, pelo respeito ás leis e o mostrando os malefícios, principalmente das drogas na vida de todos.

 

Via Caderno 1

Jovem é morto com um tiro na cabeça ao tentar separar briga em Mirandiba, no Sertão de PE

 

 

 

 

 

Na madrugada desse sábado (17), por volta das 04:30, um homicídio foi registrado na cidade de Mirandiba, no Sertão de Pernambuco.

Segundo informação, a vítima  identificada tentou separar uma briga que estava acontecendo, quando foi alvejado por um tiro na cabeça. O crime aconteceu por trás do Cemitério Público.

Policiais militares foram acionados e se deslocaram para o local, onde encontraram a vítima ainda com vida. Igor Bezerra foi socorrido pelos policiais para o hospital da cidade e posteriormente encaminhado para o Hospital Regional de Salgueiro aonde deu entrada na unidade já sem vida.

A polícia realiza no momento buscas na tentativa de prender o suspeito, pois na hora da confusão algumas pessoas viram o autor do disparo.

 

Do O Povo com a Notícia

WhatsApp é notificado após anúncio de que não vai mais funcionar em celulares antigos

 

 

Resultado de imagem para whatsapp no celular

 

 

 

 

O WhatsApp recebeu uma notificação da associação de defesa do consumidor Proteste às vésperas da data anunciada pela empresa para suspensão do serviço em aparelhos antigos. Em fevereiro de 2016, o WhatsApp anunciou que deixaria de dar suporte a dispositivos com as seguintes plataformas: BlackBerry OS e BlackBerry 10; Nokia S40; Nokia Symbian S60; Android 2.1 e Android 2.2; Windows Phone 7; e iPhone 3GS/iOS 6.

O prazo dado era até o fim de 2016, mas a empresa controlada pelo Facebook estendeu o limite para os sistemas operacionais BlackBerry OS, BlackBerry 10, Nokia s40 e Symbian S60 até o dia 30 de junho deste ano.

De acordo com a Proteste, trata-se de um desrespeito ao consumidor, especialmente para quem escolhe utilizar um aparelho mais antigo com acesso ao serviço de telefonia provido por todas as operadoras no país. Segundo a entidade, a decisão fere o artigo 39 do Código de Defesa do Consumidor no inciso 9º, que diz: “recusar a venda de bens ou a prestação de serviços, diretamente a quem se disponha a adquiri-los mediante pronto pagamento, ressalvados os casos de intermediação regulados em leis especiais.”

Em nota, o diretor de Relações Institucionais da Proteste, Henrique Lian, explica que uma vez que o aparelho funciona normalmente, a atualização é um direito do consumidor.

O WhatsApp afirma que foi um decisão difícil de ser feita, mas que estão pensando no futuro e vão concentrar os esforços nas plataformas de celular que a maioria das pessoas utilizam. “Por mais que esses aparelhos celulares tenham feito uma importante parte em nossa história, eles não possuem a capacidade requerida para que possamos expandir os recursos de nosso aplicativo no futuro”, diz empresa em seu blog.

 

Do Folhapress

 

Michel Temer chama Joesley de bandido notório e diz que processará empresário

 

Resultado de imagem para Temer e Joesley

 

 

 

 

O presidente Michel Temer vai processar o empresário Joesley Batista, de acordo com nota divulgada pelo Palácio do Planalto no início da tarde deste sábado. O texto acusa Joesley de proteger “os reais parceiros de sua trajetória de pilhagens” e os “grandes tentáculos da organização criminosa” que ele ajudou a forjar, numa referência aos governos do Partido dos Trabalhadores.

A nota foi divulgada após a publicação de entrevista do empresário pela Revista Época em que ele afirma que Temer é “chefe de organização criminosa” e que “quem não está preso está hoje no Planalto. O texto da Presidência afirma que Joesley é o “bandido notório de maior sucesso na história brasileira” e que ele “desfia mentiras em série” na entrevista.

“O presidente tomará todas medidas cabíveis contra esse senhor. Na segunda-feira, serão protocoladas ações civil e penal contra ele. Suas mentiras serão comprovadas e será buscada a devida reparação financeira pelos danos que causou, não somente à instituição Presidência da República, mas ao Brasil”, afirma o texto, acrescentando que o governo não será impedido de apurar e responsabilizar Joesley por todos os crimes que praticou, “antes e após a delação”.

Segundo o Planalto, a maior prova das “inverdades” do empresário é a própria gravação que ele apresentou à Justiça e ao Ministério Público Federal em troca do perdão de crimes que somariam mais de 2 mil anos de detenção, conforme mostrou matéria do Estado publicada no início do mês. A nota cita que, na entrevista, Joesley diz que Temer sempre pede algo a ele nas conversas que tiveram. “Não é do feitio do presidente tal comportamento mendicante. Quando se encontraram, não se ouve ou se registra nenhum pedido do presidente a ele. E, sim, o contrário”, completa.

De acordo com o texto, era Joesley quem queria resolver seus problemas no governo e que, ao bater às portas do Palácio do Jaburu, disse que não se encontrava havia mais de 10 meses com o presidente e reclamou de ter portas fechadas na administração federal. “Não foi atendido antes, muito menos depois.”

O Planalto admite que, na gravação, ao delatar o presidente, o empresário “confessa alguns de seus pequenos delitos” e alcançou, com isso “o perdão por todos os seus crimes”.

O texto destaca que o grupo JBS obteve seu primeiro financiamento no BNDES em 2005, ou seja, na gestão petista. Dois anos depois, teve faturamento de R$ 4 bilhões, valor que saltou para R$ 183 bilhões em 2016, o que o Planalto atribui a uma relação construída com governos do passado, antes da chegada de Temer. “Toda essa história de ‘sucesso’ é preservada nos depoimentos e nas entrevistas do senhor Joesley Batista. Os reais parceiros de sua trajetória de pilhagens, os verdadeiros contatos de seu submundo, as conversas realmente comprometedoras com os sicários que o acompanhavam, os grandes tentáculos da organização criminosa que ele ajudou a forjar ficam em segundo plano, estrategicamente protegidos”, completa.

A nota lembra ainda que o BNDES impediu a transferência do domicílio fiscal do grupo JBS para a Irlanda, o que levou a perdas acionárias da família Batista na bolsa de valores e os manteve ao alcance das autoridades brasileiras. “Havia milhões de razões para terem ódio do presidente e de seu governo”.

O texto acusa ainda o empresário de ter vazado o conteúdo da delação para obter “ganhos milionários com suas especulações”, cometendo “ilegalidades em série” no mercado de câmbio, comprando um bilhão de dólares e jogando contra o real, vendendo ações em alta e proporcionando ao País um prejuízo de quase R$ 300 bilhões. “Os fatos elencados demonstram que o senhor Joesley Batista é o bandido notório de maior sucesso na história brasileira. Conseguiu enriquecer com práticas pelas quais não responderá e mantém hoje seu patrimônio no exterior com o aval da Justiça. Imputa a outros os seus próprios crimes e preserva seus reais sócios”, completa.

A nota lembra ainda que Joesley obteve perdão por seus delitos e ganhou prazo de 300 meses para devolver o dinheiro da corrupção. “Pagará, anualmente, menos de um dia do faturamento de seu grupo para se livrar da cadeia. O cidadão que renegociar os impostos com a Receita Federal, em situação legítima e legal, não conseguirá metade desse prazo e pagará juros muito maiores”, completa.

Leia a nota na íntegra

Em 2005, o Grupo JBS obteve seu primeiro financiamento no BNDES. Dois anos depois, alcançou um faturamento de R$ 4 bilhões. Em 2016, o faturamento das empresas da família Batista chegou a R$ 183 bilhões. Relação construída com governos do passado, muito antes que o presidente Michel Temer chegasse ao Palácio do Planalto. Toda essa história de N”sucesso” é preservada nos depoimentos e nas entrevistas do senhor Joesley Batista. Os reais parceiros de sua trajetória de pilhagens, os verdadeiros contatos de seu submundo, as conversas realmente comprometedoras com os sicários que o acompanhavam, os grandes téntaculos da organização criminosa que ele ajudou a forjar ficam em segundo plano, estrategicamente protegidos.

Ao bater às portas do Palácio do Jaburu depois de 10 meses do governo Michel Temer, o senhor Joesley Batista disse que não se encontrava havia mais de 10 meses com o presidente. Reclamou do Ministério da Fazenda, do CADE, da Receita Federal, da Comissão de Valores Mobiliários, do Banco Central e do BNDES. Tinha, segundo seu próprio relato, as portas fechadas na administração federal para seus intentos. Qualquer pessoa pode ouvir a gravação da conversa na internet para comprová-lo.

Em relação ao BNDES, é preciso lembrar que o banco impediu, em outubro de 2016, a transferência de domicílio fiscal do grupo para a Irlanda, um excelente negócio para ele, mas péssimo para o contribuinte brasileiro. Por causa dessa decisão, a família Batista teve substanciais perdas acionárias na bolsa de valores e continuava ao alcance das autoridades brasileiras. Havia milhões de razões para terem ódio do presidente e de seu governo.

Este fim de semana, em entrevista à revista Época, esse senhor desfia  mentiras em série. A maior prova das inverdades desse é a própria gravação que ele apresentou como documento para conseguir o perdão da Justiça e do Ministério Público Federal por crimes que somariam  mais de 2000 mil anos de detenção. Em entrevista, ele diz que o presidente sempre pede algo a ele nas conversas que tiveram. Não é do feitio do presidente tal comportamento mendicante. Quando se encontraram, não se ouve ou se registra nenhum pedido do presidente a ele. E, sim, o contrário. Era Joesley quem queria resolver seus problemas no governo, e pede seguidamente. Não foi atendido antes, muito menos depois.

Ao delatar o presidente, em gravação que confesa alguns de seus pequenos delitos, alcançou o perdão por todos seus crimes. Em seguida, cometeu ilegalidades em série no mercado de câmbio brasileiro comprando um bilhão de dólares e jogando contra o real, moeda que financiou seu enriquecimento. Vendeu ações em alta, dando prejuízo aos acionistas que acreditaram nas suas empresas. Proporcionou ao país um prejuízo estimado em quase R$ 300 bilhões logo após vazar o conteúdo de sua delação para obter ganhos milionários com suas especulações.

Os fatos elencados demonstram que o senhor Joesley Batista é o bandido notório de maior sucesso na história brasileira. Conseguiu enriquecer com práticas pelas quais não responderá e mantém hoje seu patrimônio no exterior com o aval da Justiça. Imputa a outros os seus próprios crimes e preserva seus reais sócios. Obtém perdão pelos seus delitos e ganha prazo de 300 meses para devolver o dinheiro da corrupção que o tornou bilionário, e com juros subsidiados. Pagará, anualmente, menos de um dia do faturamento de seu grupo para se livrar da cadeia. O cidadão que renegociar os impostos com a Receita Federal, em situação legítima e legal, não conseguirá metade desse prazo e pagará juros muito maiores.

O presidente tomará todas medidas cabíveis contra esse senhor. Na segunda-feira, serão protocoladas ações civil e penal contra ele. Suas mentiras serão comprovadas e será buscada a devida reparação financeira pelos danos que causou, não somente à instituição Presidência da República, mas ao Brasil. O governo não será impedido de apurar e responsabilizar o senhor Joesley Batista por todos os crimes que praticou, antes e após a delação.

 

 

Do Correio Brasilienze

Dados sugerem queda de nascimentos no Brasil no 2º semestre de 2016; zika pode ter tido impacto

Mãe cuida de filho com microcefalia em Pernambuco (Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press)

No segundo semestre de 2016, a médica Sandra Valongueiro, pesquisadora da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), começou a ouvir relatos sobre uma diminuição do número de mulheres nas maternidades do Recife. Como o estado foi um dos epicentros da emergência de zika a partir de novembro de 2015, a observação chamou a atenção da especialista, que também faz parte do Grupo de Pesquisa da Epidemia da Microcefalia (Merg, na sigla em inglês).

Ao mesmo tempo, a pesquisadora Leticia Marteleto, professora do Centro de Estudos de População da Universidade do Texas em Austin, nos Estados Unidos, passou a estudar os possíveis impactos da zika no comportamento reprodutivo. Entrevistas que ela e sua equipe fizeram com grupos de mulheres do Recife e de Belo Horizonte revelaram de maneira clara o medo de engravidar no contexto da epidemia, afinal grávidas infectadas por zika têm risco aumentado de terem bebês com microcefalia. As duas pesquisadoras se uniram para investigar se os números de nascimentos refletiam esses relatos.

A questão também despertou o interesse do médico Fredi Alexander Diaz Quijano, professor do Departamento de Epidemiologia da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP), que iniciou uma busca por informações atualizadas sobre nascimentos no Brasil em 2016.

Atualmente, dados ainda preliminares obtidos pelo G1 sugerem uma redução do número de nascidos vivos a partir do segundo semestre de 2016 em todo o país, em comparação com os anos anteriores, precisamente nove meses depois do início da emergência por zika e microcefalia no país.

O G1 solicitou os dados de nascidos vivos por mês, de 2013 a 2016, ao Ministério da Saúde e às secretarias de saúde em todo o país. Recebemos do ministério os dados nacionais de nascimentos e, das secretarias, os números específicos referentes a 10 estados. As informações estão representadas no infográfico. Além disso, também foram obtidos dados de nascimentos referentes a 11 capitais.

Há algumas limitações em relação a esses números. O registro de nascidos vivos não é imediato: existe um período de latência entre o nascimento ocorrer, ser registrado pelos municípios e essa informação ser inserida no sistema nacional. Portanto, nascimentos ocorridos em 2016 podem ainda não constar no sistema, especialmente aqueles ocorridos no segundo semestre.

Queda significativa

Se os dados consolidados de nascimentos no Brasil de 2016 se mantiverem estáveis mesmo após a contabilização de registros tardios, eles revelarão uma queda estatisticamente significativa a partir do segundo semestre, segundo Fredi Quijano. Ele lembra que essa redução pode ter outros fatores envolvidos, como a crise econômica e a instabilidade política, que podem fazer com que as famílias se sintam mais inseguras para ter filhos.

Por outro lado, o fato de estados especialmente afetados por ocorrências de zika e microcefalia terem tido uma queda maior torna plausível a hipótese de que o zika teve um papel importante. “A gente ainda tem que conferir a qualidade dos dados e não se pode descartar outras explicações, mas, se for essa a razão, é um achado bem interessante que fala do impacto que pode ter sobre a comunidade uma situação de pânico e de alarme associado a um evento epidemiológico como a epidemia por zika”, diz Quijano.

“Tanto a crise econômica quanto a crise política podem entrar como fatores associados. Por outro lado, tem o fator da zika, não se pode tirar o papel da zika”, avalia diz Leticia Marteleto.

Em nota, o Ministério da Saúde esclareceu que “não é possível, neste momento, estabelecer relação entre o número de nascidos vivos e a microcefalia” devido ao caráter preliminar dos dados.

Apesar disso, em um estado como Pernambuco, onde o efeito aparece de forma bastante clara, dificilmente registros tardios poderiam reverter a tendência. Segundo Sandra Valongueiro, o estado registrou cerca de 15 mil nascimentos a menos entre agosto e dezembro de 2016 em comparação com os anos anteriores. “A gente acha que essa queda está posta, pelo menos nesses meses. Só não sabemos se isso vai continuar nos meses seguintes ou se vai ser algo temporário”, diz Marteleto.

Pernambuco foi o primeiro estado onde o aumento dos casos de chamou a atenção das autoridades de saúde. “É preciso lembrar que aqui a gente respirava zika. Nos serviços de saúde, era uma coisa muito forte, sempre havia mulheres com bebês com microcefalia. A gente estava vivendo de fato a epidemia”, observa Sandra.

Medo de engravidar

Em um estudo publicado em 5 de junho pela revista “Population and Development Review”, as pesquisadoras Letícia, Sandra e o restante de sua equipe relatam a percepção de mulheres sobre como a epidemia de zika impactou seus planos de engravidar. Em grupos de discussão organizados no Recife e em Belo Horizonte, essas mulheres contaram que viam a zika como uma tragédia que poderia acontecer com qualquer uma e que, por isso, preferiam evitar a gravidez ou pelo menos adiar os planos até que a situação melhorasse.

“Elas diziam claramente que não queriam ter filho, mais fortemente em Recife do que em Belo Horizonte. Mencionavam, por exemplo, que tinham visto no ônibus uma criança que parecia ter microcefalia. A proximidade da doença fazia com que esse pânico e esse desejo de evitar a gravidez fosse muito mais forte no Recife”, diz Letícia.

O medo, segundo a pesquisadora, apareceu em todas as classes sociais. As mulheres de classes mais altas, porém, demonstraram ter mais acesso a informações confiáveis sobre o problema.

Mesmo em áreas que não foram afetadas de maneira tão intensa pela microcefalia, como São Paulo, o medo esteve presente. “O grande medo da microcefalia assustou bastante as mulheres e coube aos médicos explicarem que, na região Sudeste, esse não era um problema tão comum e que existiam formas de prevenir, como o uso de repelente”, diz a médica Zsuzsanna Ilona Katalin de Jármy Di Bella, professora do Departamento de Ginecologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e Coordenadora do Ambulatório de Planejamento Familiar da instituição.

Luciana de Souza Alonso Carvalho, de 35 anos, tinha planos de engravidar e até começou um tratamento de fertilidade no início do ano passado, mas logo começaram a chegar as notícias da epidemia do zika. “Apesar de morar aqui em São Paulo, tenho familiares em outros lugares e viajava bastante para visitar”.

Ela resolveu adiar os planos. “Foi uma decisão bem triste. Agora é partir pra próxima e tentar novamente. Fiz isso justamente para não ficar ansiosa, o que já sou por natureza, e isso seria só um agravante. E também por segurança.” Com a queda dos casos no início de 2017, resolveu retomar as tentativas.

Maior demanda por aborto?

Para a pesquisadora Greice Maria de Souza Menezes, médica epidemiologista do Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal da Bahia (UFBA), é preciso levar em conta o quanto a emergência de zika também pode ter impactado nas demandas por aborto. Como a prática é ilegal no Brasil, com exceção de algumas situações específicas, é difícil medir esse possível efeito.

Mas um estudo publicado na revista “The New England Journal of Medicine” em julho de 2016 aponta para um aumento da demanda por medicações abortivas por meio da ONG Women on Web em países da América Latina afetados pela zika. No Brasil, o aumento foi de 108% a partir do anúncio da emergência. (G1)

Líderes de ‘operação padrão’ da PM de Pernambuco são expulsos da corporação

Presidente e vice da ACS-PE (de amarelo) chegaram a ser persos no fim do ano (Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press)

O presidente da Associação dos Cabos e Soldados de Pernambuco (ACS-PE), Alberisson Carlos, e o vice da associação, Nadelson Leite, foram expulsos da Polícia Militar. Os dois estavam entre os líderes do movimento da categoria no final do ano, quando policiais abandonaram o Programa de Jornadas Extras (PJEs) e iniciaram a operação padrão. A portaria, assinada pelo secretário de Defesa Social Angelo Gioia, foi publicada no Diário Oficial desse sábado (17).

Os dois chegaram a ser presos durante uma assembleia da categoria, na Praça do Derby, em dezembro. Na época, as associações de classe reivindicavam aumento salarial e melhorias nas condições de trabalho. Devido a operação desencadeada pelos policiais, as Forças Armadas foram acionadas e reforçaram a segurança do estado até o começo deste ano.

A portaria de exclusão aponta que os Alberisson Carlos e Nadelson Leite respondiam a inquérito militar por “tecerem críticas ao Secretário de Defesa Social e comentários desonrosos ao Governador do Estado, em vídeos divulgados nas redes sociais”. Eles foram denunciados pelo artigo 166 do Código Penal Militar, por publicação ou crítica indevida.

O texto aponta ainda que o relatório concluiu que ambos, “com seus comentários falaciosos e inconsequentes, aproveitando-se de um momento acirrado de negociações salariais, buscaram tão somente fragilizar a hierarquia e disciplina, pilares básicos da instituição militar, fomentando a insubordinação dos seus membros contra superiores”.

A ACS-PE informou que “recebeu sem surpresa a decisão” e que “adotará todas as medidas administrativas e judiciais para sanar essa ilegalidade”.

PMs presos

No dia 6 de junho, a SDS já havia publicado no boletim-geral portarias que determinam a prisão de sete policiais militares envolvidos em manifestações realizadas para exigir aumento salarial, convocadas por associações da categoria em dezembro de 2016. As punições vão de 21 dias a 25 dias de detenção e atingem quatro cabos, dois soldados e um sargento.

Os atos foram realizados nos dias 6 e 9 de dezembro do ano passado, no Derby, na área central do Recife. O abandono dos cargos da jornada extra foi uma das medidas adotadas pelos integrantes das entidades representativas do militares para forçar o governo a abrir negociações. Para a SDS, essa prática provocou a redução da capacidade operacional da tropa. (G1)

Defesa Civil contabiliza cerca de 750 moradias em área de alto risco após enchentes em Pernambuco

Resultado de imagem para Defesa Civil contabiliza cerca de 750 moradias em área de alto risco após enchentes em PE

A Defesa Civil de Pernambuco contabilizou cerca de 750 moradias avaliadas como risco grau 4, ou seja, em área de alto risco, em nove dos municípios atingidos pelas chuvas no estado. O balanço foi divulgado nesse sábado (17), após a reunião do gabinete de crise implantando pelo governador Paulo Câmara para acompanhar a situação das cidades afetadas pelas enchentes.

Pernambuco conta ainda com 2.064 pessoas desabrigadas e outras 33.779 desalojadas – mais de 55 mil chegaram a ficar fora de casa devido às chuvas. Ao todo, 27 municípios estão em emergência devido às enchentes no estado.

Nos locais identificados como de alto risco, a Defesa Civil pretende utilizar a tecnologia de geomanta para impermeabilizar as barreiras e evitar deslizamentos. O governo espera conseguir R$ 30 milhões com a União para a utilização da tecnologia. Além disso, devem ser aplicados cerca de 170 mil metros de lonas.

A meta é beneficiar 3.750 pessoas dos municípios de Catende, Belém de Maria, Sirinhaém, Joaquim Nabuco, Cortês, Ribeirão, Jaqueira, Maraial e São Benedito Do Sul com a utilização da geomanta.

Chefe da Casa Militar, o coronel Eduardo Pereira ressalta que a tecnologia foi escolhida para evitar que as pessoas precisem sair das suas casas, uma vez que ela oferece a segurança necessária, além de ter um custo e tempo muito menor do que a construção de novas moradias.

Os locais escolhidos foram visitados por equipes com engenheiros e geólogos, que estudaram as características de cada encosta para saber em quais cabem a colocação e, também, escolheu-se as áreas que abrigam uma quantidade maior de pessoas.

Operação Prontidão

As equipes do governo pernambucano distribuíram 178,4 mil metros quadrados de lonas; 12.790 kits dormitórios; 12.318 colchões; 203,7 toneladas de alimentos; 250,6 mil litros de água; 10.159 kits de limpeza; 5 mil kits de higiene; e 112,4 toneladas de roupas.

Um mutirão também vem sendo realizado para emitir novamente os documentos perdidos pela população nas enchentes, que atingiram principalmente a Mata Sul e o Agreste do estado. No total, foram emitidos mais de 1.800 documentos, entre registros de nascimento (877), comprovantes de CPF (135), carteiras de identidade (800), registros de casamento (60) e certidões de óbito (5).

Medidas

Nessa semana, o governo anunciou que vai antecipar o pagamento de 50% do 13º salário para servidores estaduais que moram nas 23 cidades mais prejudicadas pelas chuvas ocorridas no fim de maio. O dinheiro será depositado na quinta-feira (29).

Na quinta-feira (15), foi anunciado que mais três prefeituras cancelaram os festejos juninos por causa dos danos provocados pelas chuvas e enchentes. São elas: São José da Coroa Grande, Sirinhaém e Tamandaré. Até a quinta-feira (8), já tinham anunciado a desistência dos festejos Barreiros, Ribeirão e Rio Formoso. (G1)

Colisão entre moto e caminhão deixa homem morto na BR-232 em Serra Talhada

 

 

 

 

Uma grave colisão envolvendo um caminhão e uma moto na BR-232 em Serra Talhada deixou um homem morto na noite deste sábado (17).

Segundo informações, uma moto cinquentinha colidiu com um caminhão por volta das 19h00 nas proximidades do bairro Vila Bela. O condutor da motocicleta não resistiu aos ferimentos e veio a óbito no local.

Ainda de acordo com informações, a vítima era conhecida com “Sebastião” e residia no bairro Vila Nova.

Este é o segundo acidente com vítima fatal registrado em apnas uma semana nas proximidades do bairro Vila Bela na capital do Sertão do Pajeú. O último aconteceu semana passada quando um motociclista morreu, após colidir sua moto com um veículo saveiro.

Relembre: Colisão entre carro e moto deixa motociclista morto na BR-232 em Serra Talhada

Vítima: Sebastião

 

Agência do Trabalho anuncia vagas de emprego para Serra Talhada

Resultado de imagem para vagas de emprego

 

 

 

 

A Agência do Trabalho de Serra Talhada em parceira com o Jornal Desafio Online, atualizou seu cadastro de vagas de emprego nessa sexta-feira (16) e está oferecendo 04 oportunidades, são elas: Pintor, Auxiliar Administrativo, Auxiliar de Limpeza e Vendedor Pracista. (Vagas exclusivas para pessoas com deficiência).

Para concorrer basta enviar seus currículos para o e-mail:[email protected], juntamente com o número do PIS ou NIT e o cargo que pretende ocupar. A Agência está localizada na Avenida Afonso Magalhães, próximo à Câmara de Vereadores.

Maiores informações (87) 3831-9244 / 3831 – 9245 / 3831-9240. Confira as especificidades dos cargos abaixo.

 

Clique aqui para baixar o quadro de vagas de emprego