‘Foi vergonhoso’, diz Clebel Cordeiro sobre derrota do Salgueiro

Foto: Diego Nigro/JC Imagem.

 

 

 

 

O 41º título do Campeonato Pernambucano do Sport foi de maneira polêmica. Isso porque, antes do gol de Everton Felipe, o Carcará havia aberto o placar com Álvaro, após cobrança de escanteio de Daniel. Contudo, o assistente Emerson Augusto de Carvalho anulou o lance assinalando a saída da bola após a cobrança. O árbitro Wilton Pereira pediu o auxílio do assistente de vídeo e manteve a decisão do bandeirinha. Após o apito final, Clebel Cordeiro, ex-presidente do Salgueiro e atual prefeito do município, esbravejou contra a Federação Pernambucana de Futebol. A revolta foi tanta, que o político chegou a afirmar que os sertanejos não irão mais disputar a Série C desse ano.

“Ninguém vai comemorar aqui com o Sport (falou se referindo a uma possível recepção dos atletas do Salgueiro aos rubro-negros). Nenhum jogador do Salgueiro vai vir prestigiar o Sport. Não vão prestigiar nada da Federação.É muito feio o que a gente viu aqui, é horrível. Eu acho que o Sport não precisa disso, o futebol não precisa disso. Eu acho que a corrupção está dentro da politica e dentro do esporte. Está provado, porque vim aqui e tomar um jogo do jeito que tomaram é vergonhoso. O Salgueiro não entra mais em campo na Série C”, esbravejou.

EVANDRO BRAVO NO VESTIÁRIO

O técnico Evandro Guimarães preferiu não dar muita atenção ao lance após o fim da partida, ressaltou que estava de cabeça quente e pediu calma. “O árbitro de vídeo é muito importante para ser justo, mas quando um árbitro tira um gol pesa mais. Não quero criticar, mas gera dúvidas e vamos ter que analisar”, disse. Logo depois, já no vestiário, o treinador foi informado por um integrante da comissão técnica do Carcará de que o gol possivelmente foi legal. Após isso, Evandro ficou bastante exaltado, mas não voltou para o gramado.

 

Do Blog do Torcedor

Com erro de árbitro de vídeo, Salgueiro é prejudicado e perde título pernambucano para o Sport

2D280617160

 

 

 

 

A edição do Pernambucano 2017 chegou ao fim nessa quarta-feira (28). O Sport sagrou se campeão pela quadragésima primeira vez ao vencer o Salgueiro por 1 a 0, com gol marcado por Everton Felipe. Com tudo, pouco antes do gol rubro negro, o Carcará chegou a abrir o placar com William Lira. Porém, o árbitro Wilton Pereira Sampaio anulou o gol, alegando saída de bola após cobrança de escanteio. Na imagem mostrada pela câmera que transmitia o jogo, a bola não saiu totalmente. O árbitro de vídeo acabou anulando o gol dos sertanejos.

 As duas equipes voltam a campo no fim de semana pelo Campeonato Brasileiro. O Sport joga no domingo diante do Atlético PR, na Ilha do Retiro, às 16h, pela Série A. Já pela Série C, o Salgueiro vai receber o CSA também no domingo mo Cornélio de Barros, ás 16h.

Os 45 minutos iniciais foram marcados por muito equilíbrio. Nenhum dos times conseguiu manter superioridade e com poucas jogadas ofensivas, os times buscaram tentar se impor na parte física, mais do que bola. O gramado não facilitou as jogadas das equipes, que praticamente foram escassas na etapa inicial.

A chance mais clara do Salgueiro veio em lance de bola parada. Aos sete, Rodolfo Potiguar cobrou falta de longe, com força, e a bola passou perto da trave de Magrão. O Carcará diminuiu a intensidade, o que fez com o Sport produzisse mais no ataque, o que não foi o suficiente para tirar o zero do placar. A melhor chance surgiu quando a zaga sertaneja falhou e a bola sobrou para André. O atacante rubro negro chutou e Mondragon defendeu.

Mesmo pressionando, mostrando intensidade, o ímpeto do Salgueiro não durou. O Sport cresceu, mas não mostrou superioridade. Teve no mínimo três chances de abrir o placar, mas não aproveitou.

Se na primeira etapa os times poucos criaram, nos primeiros minutos da etapa complementar, a criação de jogadas ofensivas não existiu por parte de nenhuma das equipes. Fraco tecnicamente, as equipes não acertaram passes e desperdiçavam as oportunidades de chegar com perigo às áreas adversárias.

Tentando dar mais mobilidade a partida, os treinadores resolveram mexer na metade da etapa final. Pelo lado do Salgueiro, Evandro Guimarães sacou o atacante Jean Carlos para a entrada do meia Dadá. Do lado rubro negro, Vanderlei Luxemburgo tirou o colombiano Lenis para por o atacante Leandro Pereira.

Aos 24, veio a polêmica da partida. O Salgueiro chegou a balançar as redes, com Álvaro, mas o assistente alegou que a bola havia saída na cobrança de escanteio. O árbitro Wilton Sampaio acionou o árbitro de vídeo, mas uma câmera na linha lateral do gol mostrou que a bola não saiu. Apesar disso, a decisão original foi mantida e gol não foi validado.

Passado o lance, Everton Felipe, aos 36 minutos, aproveitou a ligação direta de Magrão, que foi desviada por Diego Sousa. André ajeitou para o camisa 97, que recebeu na meia-lua e bateu no ângulo. Indefensável para Mondragon.

Atrás do placar, o Salgueiro ainda lutou para tentar buscar o empate, mas o pouco que fez ajudou. Abatido, o Carcará não teve forças para reverter o revés e saiu derrotado dentro de campo.

2D280617134

 

FICHA DO JOGO:

SALGUEIRO: Mondragon; Marcos Tamandaré, Ranieri, Luiz Eduardo e Daniel; Rodolfo Potiguar, Moreilândia, Toty e Álvaro; Jean Carlos (Dadá) e William Lira
Técnico: Evandro Guimarães

SPORT: Magrão; Samuel Xavier, Ronaldo Alves, Durval e Raul Prata (Evandro); Rodrigo (Thallyson), Rithely, Everton Felipe e Diego Souza; Lenis (Leandro Pereira) e André
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

Estádio: Cornélio de Barros, em Salgueiro-PE
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (FIFA-GO)
Assistentes: Emerson A. de Carvalho (FIFA-SP) e Marcelo Van Gasse (FIFA-SP)
Árbitro de vídeo: Péricles Bassols
Gol: Everton Felipe (31’ do 2T) (SPO)
Cartões amarelos: Jean Carlos, Rodolfo Potiguar e Daniel (SAL); Durval, Lenis, Fábio e André (SPO)
Público e Renda: Não divulgado

 

Do UOL

Jogando em casa, Salgueiro busca o primeiro título estadual para o interior

Resultado de imagem para Salgueiro x Sport

 

 

 

 

 

Quase dois meses depois do primeiro jogo, enfim chegou o grande dia da final do Campeonato Pernambucano. Nesta quarta-feira, a partir das 21h45, no estádio Cornélio de Barros, o Salgueiro terá a chance de quebrar um jejum de 103 anos. O time sertanejo pode ser o primeiro do interior a levantar a taça de campeão estadual. Para alcançar o feito, que bateu na trave em 2015 quando perdeu para o Santa Cruz, o Carcará do Sertão precisa de uma vitória simples contra o Sport. Caso a partida termine empatada, a decisão será nos pênaltis.

Algumas coisas mudaram no Salgueiro daquele jogo no dia 7 de maio até o desta quarta-feira. A principal mudança está no rendimento da equipe, que hoje ocupa a lanterna na Série C. O Carcará chegou na final do Pernambucano como dono da melhor campanha da competição. No elenco, a baixa fica por conta do meia Valdeir, que foi para o futebol português.

O técnico Evandro Guimarães comandou apenas um treino antes da final do Pernambucano. Como o time chegou de São Luiz, onde enfrentou o Sampaio Corrêa, apenas na tarde da segunda-feira, a atividade aconteceu no fim da tarde da terça-feira. O lateral-direito Marcos Tamandaré, que ficou fora dos últimos dois jogos da equipe, está recuperado e fica à disposição do treinador.

O clima da final tomou conta da cidade. Está será a primeira vez que a decisão do estadual acontecerá no interior do estado. Torcedores do Salgueiro estão organizando uma grande festa para apoiar o time.

O jogo

Local: Estádio Cornélio de Barros – Salgueiro/PE

Data: 28-06-2017

Horário: 21h45

Provável time do Salgueiro: Mondragon; Marcos Tamandaré, Ranieri, Luís Eduardo e Daniel; Rodolfo Potiguar, Moreilândia, Toty e Dadá Belmonte; Willian Lira e Álvaro.

Arbitragem: Wilton Pereira Sampaio (FIFA-GO) apitará no campo, auxiliado por Emerson Augusto Carvalho (FIFA-SP) e Marcelo Van Gasse (FIFA-SP). Péricles Bassols (CBF/PE) será o árbitro de vídeo.

Do Globo Esporte

Data da final do Pernambucano pode sair na próxima quarta-feira (14)

 

Foto: Hélia Schepa/Acervo JC Imagem.

 

 

 

 

A data da segunda partida da final do Campeonato Pernambucano pode sair na próxima quarta-feira (14). De acordo com o presidente da Federação Pernambucana de Futebol (FPF), Evandro Carvalho, o sorteio dos confrontos da segunda fase da Copa Sul-Americana, marcado para este dia dará um indicativo à CBF para definir quando o Salgueiro receberá o Sport no Cornélio de Barros. O evento acontecerá em Assunção, no Paraguai e Evandro será representado pelo diretor de coordenação da Confederação, Reinaldo Bastos.

Evandro explicou que, embora a FPF seja o alvo das críticas, principalmente de torcedores e dirigentes do Salgueiro, o imbróglio com as datas deveu-se a uma confusção da própria CBF. “Foi a CBF, junto com a Commebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) quem marcou no dia 18. Não tive como fazer nada. Com esse sorteio uma nova data será definida por eles”, explicou.

O mandatário pernambucano explicou que as datas reservadas para os estaduais deste ano, um total de 18 entre 29 de janeiro e 7 de maio, comportaria toda competição. Mas à medida que o Sport avançou nas competições paralelas que disputou – Copa do Nordeste, Copa do Brasil e Sul-Americana – o calendário foi apertando e ficando a critério da CBF e Conmebol.

“Quando o Sport foi passando eles foram definindo as datas. A imprensa me critica mas, infelizmente, quando eles decidiram pelo dia 18 não era possível. As datas disponíveis comportariam o campoenato todo. Com 13 datas seria possível, como foi com a Bahia, São Paulo, Rio de Janeiro… Se o Bahia estivesse em outras competições teria acontecido a mesma coisa”, disse. A diferença é que o Tricolor de Aço não disputou a competição continental.

 

 

Do Blog do Torcedor

Desembargador acata recurso do Sport e proíbe buzina em final contra o Salgueiro

Resultado de imagem para Tarcísio da buzina

 

 

 

 

 

Neste momento, a entrada de buzinas e cornetas no estádio Cornélio de Barros, lugar da final do Campeonato Pernambucano, está proibida. Na tarde desta terça-feira, o desembargador José Fernandes de Lemos atendeu ao requerimento do Sport e concedeu a antecipação de tutela do pedido formulado pelo clube rubro-negro pela proibição dos instrumentos nos jogos entre Sport e Salgueiro disputados em Pernambuco.
A decisão foi publicada às 16h50. Nela, o desembargador decide pela proibição da “entrada nas dependências do Estádio Cornélio de Barros, bem como em outras localidades onde sejam realizadas partidas de futebol entre Sport Club do Recife e o Salgueiro Atlético Clube, de integrantes do clube e torcedores portando qualquer tipo de corneta/buzina nas dimensões e potência sonora informados, sob pena de multa diária de R$ 10.000,00 (dez mil reais), limitada a R$ 100.000,00 (cem mil reais), em caso descumprimento.”

Lemos detalhou a base da solicitação do Sport. As alegações rubro-negras vão além do prejuízo na comunicação entre o técnico e os atletas, como havia alegado o clube da capital. Na ação, o Sport alude que os objetos comprometem a segurança no ambiente. “Em todos os jogos da agravada (Salgueiro) há a presença de indivíduos com instrumentos sonoros/buzinas que interferem o bom convívio nas arquibancadas de futebol, posto que os objetos possuem um formato intimidador e capacidade sonora elevada, proporcionando um ambiente de insegurança e interferindo no resultado da partida”, relata o desembargador, referindo-se aos argumentos utilizados pelo Sport.

E continua: “Alega (o Sport) que as atitudes dos torcedores do Salgueiro Atlético Clube impossibilitam a comunicação entre os atletas e os profissionais presentes no evento esportivo. Argumenta que a utilização de buzinas/cornetas incitam à violência, provocando um clima de rivalidade excessiva, gerando nervosismo dentre os presentes ao evento esportivo. Assevera (o Sport) que é preciso zelar pela segurança do público que frequenta os eventos esportivo, sendo indiscutível o direito à segurança, que é de responsabilidade do clube mandante do jogo.”

A decisão

Com base nisso, o desembargador decidiu então pela proibição das buzinas e cornetas, modificando a decisão do juízo de primeira instância, que havia negado a tutela antecipada com base no princípio constitucional da Liberdade de Expressão. Nesse sentido, pontuou o desembargador:

“Ora, em que pese o torcedor ser livre para expressar seu apoio ao time, tal liberdade não pode ultrapassar os limites ao ponto de causar irritabilidade aos demais integrantes da partida, provocando violência no estádio e, por conseguinte, insegurança para todos, em detrimento de um ambiente saudável ao lazer.” Argumentou ainda que o “uso de objetos sonoros pelos torcedores do Salgueiro Atlético Clube são capazes de incitar à violência, atrapalhando os atletas e a comissão técnica.”

Lemos utilizou como base jurídica o Artigo 13-A do Estatuto do Torcedor. Diz o texto legal:

 

“São condições de acesso e permanência do torcedor no recinto esportivo, sem prejuízo de outras condições previstas em lei:

(…)

II – não portar objetos, bebidas ou substâncias proibidas ou suscetíveis de gerar ou possibilitar a prática de atos de violência; (Incluído pela Lei nº 12.299, de 2010).

(…)

VIII – não incitar e não praticar atos de violência no estádio, qualquer que seja a sua natureza; e  (Incluído pela Lei nº 12.299, de 2010).

Salgueiro

Advogado do Salgueiro, Diego Patryck de Alencar Carvalho informou que o clube ainda não foi notificado da decisão desta terça-feira. Somente após isso, vai se reunir com a diretoria do Caracará para decidir o que será feito. “Por enquanto, tendo em vista, pelo menos a meu conhecimento, que a gente não foi noticado da decisão, a gente não vai se pronunciar”, destacou.

Ele, entretanto, questionou de imediato as alegações rubro-negras de que a presença dos instrumentos colocam em risco a segurança dos torcedores e estariam motivando episódios de agressões e insultos no estádio, e sinalizou que a tendência será o clube sertanejo recorrer.

 

Do Super Esportes

Agente de Luxemburgo se mostra otimista e acerto com Sport pode sair nesta sexta-feira (26)

Resultado de imagem para Vanderlei Luxemburgo 2017

 

 

 

Deve ficar para esta sexta-feira o desfecho da negociação entre Sport e o técnico Vanderlei Luxemburgo. Na noite desta quinta, em São Paulo, o treinador teve uma reunião com o vice-presidente rubro-negro Gustavo Dubeux, o executivo de futebol Alexandre Faria e o diretor Rodrigo Barros. Em entrevista ao Superesportes, o agente do treinador, Fabiano Pereira, também presente ao encontro, afirma que a negociação está “encaminhando”. Agora, resta apenas a palavra final do presidente Arnaldo Barros.

De acordo com Fabiano, o assunto principal da reunião foi o planejamento do futebol do Sport para o Campeonato Brasileiro. E a receptividade ao projeto apresentado pelo clube pernambucano foi “muito boa”.
“Saimos quase agora. Foi muito boa (a receptividade ao projeto). Eu já conhecia Gustavo que é um cara fantástico. Ele vai se reunir também com o presidente, creio que amanhã (sexta) e ficou de nos dar um retorno. Estamos no aguardo. Tá caminhando (a negociação). Estou na torcida para que dê tudo certo pelo carinho que tenho pelo clube”, afirmou Fabiano, que atuou no Sport como meia em 2009.
Ainda segundo o agente, valores de salários não foram discutidos nesse primeiro encontro. “Tratamos de alguns pontos específicos. Não se esperava a saída do Ney precocemente. Não se falou nada de salário, somente de futebol”, completou o agente.

Currículo 

Um dos treinadores mais vitoriosos da história do futebol brasileiro, Vanderlei Luxemburgo terá no Sport a sua primeira experiência em um clube do Nordeste. Dono de cinco títulos do Campeonato Brasileiro (recorde), o treinador também acumula conquistas com a seleção brasileira (Copa América de 1998) e também por Santos, Palmeiras, Corinthians, Cruzeiro, Atlético-MG e Flamengo, onde levantou sua última taça, o Estadual de 2011. Além de uma passagem mal sucedida no Real Madrid, em 2005.
Seu último trabalho no Brasil foi no Cruzeiro, em 2015, quando deixou o cargo após 19 jogos, com dez derrotas, três empates e seis vitórias. Um rendimento de apenas 36,8%. Depois disso, aceitou uma proposta milionária para treinar o  Tianjin Quanjian, da segunda divisão da China, no ano passado. Ficou apenas três meses no cargo, sendo demitido com quatro vitórias, quatro empates e quatro derrotas, deixando o clube na oitava posição. Faturou, no entanto, R$ 26,9 milhões com a multa rescisória.
Com o acerto do novo treinador ocorrendo apenas hoje, quem vai colocar o Sport em campo no próximo domingo, contra o Grêmio, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro é o assistente-técnico Daniel Paulista.
Do Diário de Pernambuco

Bahia vence Sport e é tri-campeão da Copa do Nordeste

Resultado de imagem para bahia campeão da copa do nordeste

 

 

 

 

O Bahia dominou e venceu o Sport por 1 a 0 na noite desta quarta-feira, na Fonte Nova, pela decisão da Copa do Nordeste. Após o empate em 1 a 1 no primeiro jogo, o tricolor se sagrou tri-campeão do torneio, de maneira invicta quando jogando em casa. Edigar Junio fez o gol do título do Bahia, ainda no primeiro tempo.

O Sport, precisando da vitória, começou tomando a iniciativa do jogo. O Bahia apostava em contra-ataques para chegar ao gol rubro-negro. Aos 12 minutos, Edigar Junio recebeu passe, girou em cima da marcação e ficou cara a cara com Magrão. O atacante, com um lindo toque, encobriu o goleiro Magrão e abriu o placar para o Bahia na Fonte Nova, aumentando a vantagem do tricolor.

A partir daí, o Sport pareceu ter sentindo muito o gol, não conseguindo ficar mais com a posse de bola. O Bahia, por outro lado, dominava o jogo e colocava muita pressão no Leão. Pressão que quase resultou no segundo gol aos 30 minutos, em cabeçada na trave de Edigar Junio. Na primeira chegada do Sport na partida, Rogério caiu dentro da área e pediu pênalti. O árbitro não foi na dele e deu o segundo amarelo, resultando na expulsão do jogador. O jogo foi para o intervalo com o Bahia vencendo por 1 a 0 e o Sport perdido em campo.

O jogo no segundo tempo começou como terminou o primeiro. O Bahia tocava a bola e encurralava o Leão no seu campo defensivo. Aos 12 minutos, Magrão já era o nome do jogo, salvando o rubro-negro em várias oportunidades. O que parecia era que o Bahia que precisava do resultado, pelo ímpeto e pressão que fazia no adversário.

A partir dos 30 minutos, o Sport se lançou para o desespero. O Bahia, com um homem a mais, se fechava e arrancava no contra-ataque. Nos lances finais, as duas equipes trocaram oportunidades, mas ninguém conseguiu marcar. Aos 48, Francisco Carlos do Nascimento apitou, e o Bahia foi tri-campeão da Copa do Nordeste.

FICHA TÉCNICA
BAHIA 1 X 0 SPORT

Local: Fonte Nova, Salvador
Data-hora: 24/5/2017 – 21h45
Árbitro: Francisco Carlos do Nascimento (AL)
Auxiliares: Esdras Mariano Albuquerque (AL) e Rondinelle dos Santos Tavares (AL)
Público: Não divulgado
Cartões amarelos: Régis, Edson, Renê Júnior, Allione e Tiago (BAH); Rogério, Ronaldo, Leandro Pereira, Marquinhos e Mena (SPO)
Cartões vermelhos: Rogério, 32’1°T, Ronaldo, 46’2°T e Lenis, 46’2°T (SPO)
Gols: Edigar Junio, 12’1°T (1 a 0)

BAHIA: Jean; Eduardo, Tiago, Lucas Fonsea e Armero; Renê Júnior (Juninho, 19’2°T), Edson, Régis (Matheus Sales, 24’2°T) e Allione; Zé Rafael (Gustavo, 37’2°T) e Edigar Junio – Técnico: Guto Ferreira

SPORT: Magrão; Raul Prata (Marquinhos, int), Matheus Ferraz, Oswaldo Henríquez, Durval e Mena; Fabrício (Éverton Felipe, 6’2°T), Ronaldo (Leandro Pereira, 34’2°T) e Diego Souza; André e Rogério – Técnico: Ney Franco.

 

Do Portal Terra

Bahia e Sport decidem Copa do Nordeste na Fonte Nova

Resultado de imagem para Bahia x Sport

 

 

 

 

Será encerrada nesta quarta-feira, na Fonte Nova, em Salvador, a edição de 2017 da Copa do Nordeste. Em busca de um título que poderá dar novos ares de confiança para o restante da temporada, estarão frente a frente Bahia e Sport, às 21h45 (de Brasília) da próxima quarta-feira. No primeiro jogo, na Ilha do Retiro, um empate em 1 a 1 manteve a disputa em aberto para o confronto da volta.

Para conseguir celebrar a conquista dentro de casa, o Bahia conta com boas notícias em relação aos atletas relacionados. O meia Régis, um dos principais destaques da temporada e que era dúvida para a partida, aparece entre os relacionados e deve iniciar o jogo como titular. Lucas Fonseca, que também tinha situação incerta, é outro que fica à disposição.

Para o treinador Guto Ferreira, o título seria a consequência de um projeto que vem sendo levado a sério dentro do clube, e premiaria o trabalho que vem sendo feito por comissão e diretoria.

“A busca é de um Bahia forte sim. O planejamento foi para isso. O título para a instituição neste momento é de suma importância para fortalecer o que a direção vem fazendo. Toda esta movimentação, esta qualificação de trabalho feito no Bahia se efetiva a partir de que os resultados se firmam. E um resultado como este tem tudo para chancelar o que tem sido feito”, comentou o técnico.

No lado do Sport, que tem a missão de buscar o título longe de seus domínios após ficar só no empate no Recife, fica o apoio de quem ficará torcendo em Pernambuco. No embarque para Salvador, o elenco foi ovacionado pela torcida no aeroporto. Clima que deixa o grupo ciente da relevância carregada pela partida, como comentou o técnico Ney Franco.

“Sabemos da importância desse momento e a oportunidade que todos nós temos como profissionais de deixar o nosso nome no clube com o título”, afirmou o treinador, demonstrando um sentimento de responsabilidade que também é compartilhado também entre os atletas.

“E jogo para zero de erro. Temos que evitar os erros atrás para dar tranquilidade ao time de ir buscar os gols lá na frente”, declarou o zagueiro Durval.

Na final, o Sport poderá contar com o retorno do lateral-esquerdo Mena. O chileno havia se lesionado no início do mês na Copa Sul-Americana e estava de fora desde então, mas será presença no jogo desta quarta-feira.

FICHA TÉCNICA

BAHIA X SPORT 

Local: Fonte Nova, em Salvador (BA)

Data: 24 de maio de 2017, quarta-feira

Horário: 21h45 (Brasília)

Árbitro: Francisco Carlos do Nascimento (AL)

Assistentes: Esdras de Lima Albuquerque (AL) e Rondinelle dos Santos Tavares (AL)

BAHIA: Jean; Eduardo, Tiago, Lucas Fonseca e Armero; Edson, Juninho (Renê Júnior) e Régis; Zé Rafael, Allione e Edigar Junio.

Técnico: Guto Ferreira

SPORT: Magrão; Matheus Ferraz, Henriquez e Durval; Everton Felipe, Ronaldo, Fabrício, Diego Souza e Mena; André e Rogério.

Técnico: Ney Franco

 

Da ESPN

Em Brasília, Secretário de Esportes de Serra Talhada busca recursos para reforma do Pereirão

Imagem relacionada

 

 

 

 

O Secretário de Esportes de Serra Talhada, Ginclécio Oliveira, tem agenda positiva marcada para o fim da tarde desta quarta-feira (17) em Brasília.  Ao falar com o blogueiro Júnior Campos, Gin Oliveira adiantou que tem um encontro marcado com o Deputado Federal Kaio Maniçoba – PMDB,  onde irá tratar com o mesmo, o assunto de uma emenda parlamentar para reforma e ampliação do Estádio Municipal Nildo Pereira de Menezes, o Pereirão.

O secretário está a pouco tempo à frente da pasta de esportes do município, mas já dá sinais de boas movimentações para o desenvolvimento esportivo da cidade.

Via Júnior Campos

Arbitragem de vídeo decide e Salgueiro empata com o Sport na final

Foto: Diego Nigro/JC IMagem

 

 

 

 

Em jogo marcado pelos erros no ataque do Sport e pela postura defensiva do Salgueiro, coube ao auxílio da arbitragem de vídeo, inédita no Brasil, trazer a emoção para o primeiro duelo da final do Pernambucano neste domingo, na Ilha do Retiro. Nos minutos finais, o árbitro José Woshington marcou pênalti para o Carcará e consultou o recurso da tecnologia, confirmando a penalidade logo em seguida. Jean Carlos bateu e foi o autor do primeiro gol no Brasil com auxílio do vídeo. Foi o que decretou o empate em 1×1 contra o Leão. André marcou para os rubro-negros no primeiro tempo.

Com isso, a taça do Estadual está aberta. O empate não favorece ninguém, enquanto que quem vencer leva no segundo jogo. A volta, contudo, só ocorre daqui 42 dias, no Cornélio de Barros, em Salgueiro. Enquanto isso, o Sport tem as disputas da Copa Sul-Americana, Série A, Copa do Brasil e Copa do Nordeste no meio do caminho. Já o Salgueiro começará a focar na Série C. Ou seja, daqui para lá, muita coisa pode mudar.

DEFESA CONTRA ATAQUE

O duelo entre rubro-negros e sertanejos foi marcado por um embate entre ataque e defesa no gramado. Jogando fora de casa, o Carcará optou por ser cauteloso e pouco saiu para agredir o adversário. Fora uma bola no travessão no segundo tempo, o Salgueiro mal ofereceu perigo ao goleiro Magrão. O time do técnico Evandro Guimarães preferiu ficar lá atrás e deu quase que toda a posse de bola para o Sport, que foi ao ataque naturalmente.

Sport, André

O Leão, contudo, encontrou muitas dificuldades para criar. Esbarrou principalmente no ferrolho salgueirense pelo meio. Tinha horas que nada mais que todo o time visitante estava lá atrás. Isso obrigou o Sport a rodar mais a bola, variando de um lado para outro. As laterais foram as principais armas dos rubro-negros, principalmente com Mena no lado esquerdo.

Nem mesmo o gol do Sport mudou o panorama da partida. O Salgueiro continuou atrás na aposta de se segurar na defesa. Já o Leão seguiu com maior posse de bola e trabalhando pelas laterais. O ímpeto dos donos da casa, todavia, foi diminuindo com o passar do tempo. Mais parecia que o resultado simples era o bastante para o Leão, que jogou quase todo o segundo tempo em ritmo lento e sem forçar tanto o Salgueiro. Convém destacar também a falta de um poder criativo maior já que os rubro-negros não tiveram Diego Souza, lesionado.

Foto: Diego Nigro/JC Imagem

A postura defensiva do Salgueiro e a maresia do Sport em alguns momentos deixou a partida sonolenta, para não dizer ruim. O cenário só mudou um pouco nos minutos finais, quando as duas equipes esboçaram maior vontade e até encontraram maiores espaços. Foi aí que entrou o recurso do vídeo em penalidade marcada nos minutos finais. A tecnologia foi consultada e confirmou a marcação de José Woshington. Jean Carlos marcou o gol e deu números finais ao confronto.

FICHA DA PARTIDA – SPORT 1X1 SALGUEIRO

Sport: Magrão; Samuel Xavier (Raul Prata), Matheus Ferraz, Durval e Mena; Ronaldo, Fabrício, Rithely (Fábio) e Everton Felipe (Lenis); Rogério e André. Técnico: Ney Franco.

Salgueiro: Mondragon; Marcos Tamandaré, Luiz Eduardo, Ranieri e Daniel ; Rodolfo Potiguar, Moreilândia, Toty e Valdeir; Álvaro (Jean Carlos) e William Lira. Técnico: Evandro Guimarães.

Pernambucano (final). Local: Ilha do Retiro, Recife (PE). Árbitro: José Woshington da Silva (PE). Assistentes: Marlon Rafael Gomes de Oliveira e Fabrício Leite Sales (ambos de PE). Gols: André (SPT) aos 27 minutos do 1º tempo; Jean Carlos (SAL) aos 54 do 2º. Cartões amarelos: Mongragón (SAL), Samuel Xavier (SPT), Rogério (SPT), Rithely (S), Matheus Ferraz (SPT) e Raul Prata (SPT). Público: 22.757. Renda: R$ 501.176.

 

Do Blog do Torcedor