Em ‘Dia sem Imposto’, Fiepe alerta que R$ 44 bi são pagos ao ano em Pernambuco

Resultado de imagem para dinheiro

 

 

 

Em 2015, o pernambucano pagou R$ 44 bilhões em impostos. Isso representa uma fatia de menos de 3% da arrecadação nacional. Neste ano, o país superou já bateu a marca de 1,6 trilhão em impostos. A carga tribuária motivou a  Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (Fiepe) a promover, nessa quinta-feira (17), o “Dia sem Imposto”, para mostrar à população o impacto no dia a dia.

De acordo com o diretor financeiro da Fiepe, Bruno Veloso, numa ida ao supermercado de R$ 900 em compras, aproximadamente R$ 400 são impostos. Ainda de acordo com ele, numa média de R$ 3 sobre qualquer produto, R$ 2 é o próprio produto e R$ 1 é imposto. Enquanto a carga tributária no estado deverá atingir neste ano o mesmo valor de 2015, Veloso acredita que a arrecadação do Brasil fechará 2016 em R$ 2 trilhões.

“Todos nós saímos perdendo. A absurda carga tributária tira o poder de compra do pernambucano. Ele não consegue consumir porque tudo para ele fica muito caro. Essa é uma bola que ninguém fica de fora. Ela atinge a empresa, o comércio e o consumidor final”, pontua.

Em plena crise econômica, o problema parece cada vez mais alarmante a medida que o poder de compra diminui. “É mais fácil para o governante cobrar mais para cobrir a má administração, os rombos do seu governo. Assim, ele cria um novo imposto ao invés de fazer o dever de casa e administrar o público como se fosse privado. Essa taxa se torna cada vez mais insuportável para a população”.

Entre os itens que sofrem com uma taxa de imposto maior estão a cachaça com 81%, o cigarro com 80%, a cerveja com 55% e a gasolina com 56% dos valores destinados a arrecadação.

Para conscientizar a população sobre a elevada carga tributária que incide sobre produtos, serviço, comércio e indústria, a Fiepe realizado o “Dia sem Imposto” nesta quinta-feira (17). O evento, que  é gratuito, e contará com palestras até às 17h. Das 18h às 21h, o estacionamento da Casa da Indústria se transforma num espaço com comercialização de bebidas e comidas livres de tributação. Durante o evento, também será instalado um Impostômetro, para que o público acompanhe em tempo real a arrecadação federal de impostos, além do sorteio do direito à compra de um celular iphone livre de tributos.

“A gente precisa fazer uma reversão na consciência coletiva. Precisamos mostrar que essa taxa é abusiva A população tem que se posicionar contra, mostrar a sua voz. É mais fácil para o governante fazer essa transferência do que arrumar a casa. No evento, vamos expor também os produtos e colocar os preços com e sem impostos”, conta o diretor ao dizer que o imposto é sim necessário, mas precisa ser controlado.

“Nós somos o país da América Latina que mais paga imposto. Vou comparar com o Chile. Lá o imposto gira entorno de 19%. Eles enfrentam condições mais adversas que as nossas como a natureza e o formato do país e mesmo assim conseguem ser mais desenvolvidos com uma qualidade de vida e uma renda per capita melhor. Aqui, a taxa que pagamos é de 33%”, encerra. (G1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>