Local onde jovens de 19 anos foram achadas mortas é incendiado em PE

foto-incendio-mata

 

 

 

O local onde foram encontrados os corpos de Taiane Rocha e Bruna Torres de 19 anos, assassinadas na segunda (5), foi incendiado na terça-feira (6). A informação foi confirmada nessa quarta-feira (7), pelo delegado Marceone Ferreira. As garotas foram mortas quando iam ao trabalho, no Distrito Industrial, Zona Oeste de Petrolina, no Sertão de Pernambuco. O local foi periciado no dia do crime, mas peritos disseram que uma nova varredura seria feita na área.

Segundo Marceone, o fogo foi provocado por populares. Ele descartou a hipótese de que o incêndio tenha sido provocado pelos possíveis suspeitos das mortes. “A população estava toda lá na hora do incêndio. Eles fizeram isso devido ao abandono da área. A vegetação estava alta e por isso colocaram fogo. Não tem relação com o autor do crime”, descartou.

O delegado informou ainda que o local já tinha sido liberado pelo Instituto de Criminalística (IC), mas, que novas perícias ainda poderiam ser feitas. “O IC já tinha liberado o local. Inicialmente eles fizeram a perícia que tinham que fazer. Mas, as vezes, eles precisam voltar para fazer um ‘pente fino’, uma análise mais minuciosa, ampliando a área periciada. Porém, o primordial foi feito na hora, onde foram colhidos os vestígios”, explicou Marceone.

Investigações
Nesta quarta-feira (7), o delegado Marceone Ferreira disse que a principal linha de investigação é o latrocínio. “Estamos evoluindo, a equipe está na rua e, a princípio, o estupro foi totalmente descartado. As perícias foram realizadas e deram como negativas para estupro. Estamos trabalhando na linha de latrocínio. Elas foram encontradas nuas porque as roupas que vestiam foram tiradas e cortada para amarrar as vítimas”, afirmou Marceone.

Perícia
De acordo com o perito criminal e gestor do Instituto de Criminalística Ivan Câmara, mesmo após o incêndio a área foi novamente periciada. Ele concluiu ainda que o fato não deve atrapalhar as investigações.“A varredura era para ver se encontrávamos a arma do crime, porque no dia do homicídio não achamos. Os vestígios, coisas associadas ao fato, todo o material biológico, foi feito no dia. Mas, como não achamos a arma, possivelmente uma faca do tipo peixeira, voltamos lá para aumentar a área, até porque é um local ermo, de difícil acesso, mas não achamos”, afirmou o perito.

Sepultamento
Os corpos das vítimas ficaram no Instituto de Medicina Legal (IML) até o início da tarde desta terça-feira e só foram liberados após a conclusão da coleta de material para exames no laboratório de Recife, capital pernambucana. O sepultamento de Taiane Rocha será realizado nesta quarta (7), em Ouricuri do Ouro, distrito do município de Brotas de Macaúbas, na Bahia. O corpo de Bruna Torres será enterrado em São Francisco de Assis, no Piauí.

Do G1 Petrolina

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *