MPF investiga beneficiários do Bolsa Família em cidades do Sertão de Pernambuco

Imagem relacionada

 

 

 

O Ministério Público Federal (MPF) investiga beneficiários do programa do governo federal Bolsa Família que recebem o benefício sem atender aos requisitos do programa. As suspeitas começaram depois de um cruzamento entre dados disponibilizados pelo Portal da Transparência e por instituições públicas. No Sertão de Pernambuco beneficiários de várias cidades estão na lista de investigados.

Cerca de 870 mil beneficiários do programa são investigados em todo o país. Todas as informações são divulgadas pelo projeto “Raio-X Bolsa-Família”, que tem o objetivo de identificar quem está recebendo o benefício indevidamente, sem necessidade ou sem preencher os requisitos exigidos.

Estas pessoas estariam com o perfil econômico bem acima do aceitável para a participação no programa. Em Petrolina são 2.166 recebedores suspeitos, uma soma de mais de R$ 7,2 milhões. Entre esses suspeitos, estão empresários e até servidores públicos.

Em Afrânio são 406 suspeitos, totalizando mais de R$ 1,5 milhão. Em Dormentes são 190 suspeitos e R$ 597.343,00. Em Lagoa Grande existem 366 suspeitos e a soma equivale a mais de R$ 1,5 milhão. Em Santa Maria da Boa Vista são 739 suspeitos com uma soma de mais de R$ 3 milhões.

De acordo com a procuradora da República, Polireda Madaly Bezerra de Medeiros, todos os benefícios considerados suspeitos passarão por uma epécie de revisão. “Esses benefícios serão triados, porque às vezes o próprio sistema já detecta esta irregularidade e já cancela. E destes que ainda estão ativos vão ser feitas visitas domiciliares pelos municípios pelas equipes de Assistência Social. Aí vão constatar ou não a irregularidade no benefício”, disse a procuradora.

Sobre essa investigação, a Prefeitura de Afrânio justificou que a falha estaria no sistema federal que aprova diretamente o cadastro e não remete à triagem da prefeitura. A Prefeitura de Dormentes informou que os beneficiários podem ter passado informações erradas, mas que já encaminhou as respostas solicitadas pelo MPF.

A Prefeitura de Lagoa Grande explicou que as pessoas suspeitas já foram identificadas, algumas foram notificadas e a Secretaria de Assistência Social está solicitando o valor recebido indevidamente. A Prefeitura de Petrolina informou que está organizando as equipes para que eles possam verificar a realidade com visitas domiciliares. Não foi possível contato com a Prefeitura de Santa Maria da Boa Vista. (G1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>