Notificações de Síndrome Respiratória Aguda Grave aumentam 29% em Pernambuco

Vacina é importante medida de prevenção contra ocorrência de novos casos de influenza (Foto: Romero Mendonça/Secom)

No período de 1º de janeiro a 25 de março deste ano, Pernambuco notificou 280 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), situação em que há necessidade de internação de pacientes com febre, tosse ou dor de garganta associado à dispneia ou desconforto respiratório. Esse número é 29% maior do que as notificações realizadas no mesmo período de 2016, com 217 pacientes. Os dados são da Secretaria Estadual de Saúde (SES).

Apesar do aumento, os casos deste ano apresentaram menor gravidade: em 2017, a circulação predominante tem sido da influenza A (H3N2) Sazonal, enquanto no ano passado foi da influenza A(H1N1), conhecida por quadros mais graves em populações vulneráveis. A SES destaca que o retorno da estação de chuvas a Pernambuco torna favorável a ocorrência de casos de influenza, doença respiratória infecciosa de origem viral que pode levar ao agravamento e ao óbito, além de outras enfermidades do trato respiratório. A pasta informa que também é esperado para esse período uma maior incidência de casos de SRAG.

Na última quarta-feira (5), a pasta emitiu uma nota técnica aos serviços de saúde e aos gestores municipais com o objetivo de prevenir casos graves de influenza e óbitos e reforçar a vigilância e resposta a esse evento de saúde pública. O documento contém todas as medidas para a vigilância epidemiológica, os cuidados de prevenção e controle para influenza, além da forma correta de tratamento dos pacientes e a importância da notificação dos casos de SRAG.

Para prevenir novas ocorrências de influenza, começa no dia 17 de abril o período de vacinação. De acordo a pasta, as vacinas ficam disponíveis até o dia 26 de maio e, neste ano, professores das escolas públicas e privadas do estado vão ser contemplados. A primeira semana do período de vacinação é destinada aos profissionais de saúde, restando as demais para os grupos prioritários.

São eles: idosos, crianças na faixa etária de 6 meses a menores de 5 anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, puérperas até 45 dias após o parto, povos indígenas, grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional.

Dicas de prevenção

A Secretaria Estadual de Saúde lista algumas medidas de prevenção que devem ser adotadas pela população para evitar a propagação de casos:

– Cobrir o nariz e a boca com lenço, ao tossir ou espirrar, e descartar o lenço no lixo após uso.

– Lavar as mãos com água e sabão após tossir ou espirrar.

– No caso de não haver disponibilidade de água e sabão, usar álcool gel.

– Evitar tocar olhos, nariz ou boca.

– Evitar contato próximo com pessoas doentes.

Do G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>