PE tem 4.250 novos casos de dengue e chikungunya em uma semana

 Mosquitos Aedes aegyti são vistos em laboratório da Colômbia  (Foto: AP Photo/Ricardo Mazalan)

 

 

Em apenas sete dias, 4.250 pernambucanos receberam a confirmação de dengue ou chikungunya, segundo dados divulgados pela Secretaria Estadual de Saúde (SES) nesta terça (19). Os resultados foram obtidos do dia 10 de julho até o último sábado (16), mas, se consideradas as estatísticas informadas desde janeiro, o Estado já soma praticamente 37,5 mil casos confirmados das duas arboviroses.

Em relação ao boletim divulgado na semana anterior pela SES, Pernambuco registrou, ainda, 3.870 novas notificações de dengue, zika e chikungunya. Foram, feitos, também, 2.514 descartes de possíveis casos das três doenças.

Das três enfermidades, a dengue lidera o número de notificações e confirmações: desde janeiro, foram contabilizados 88.347 possíveis casos da doença e as confirmações foram feitas em 21.183 pacientes. Para a chikungunya, por outro lado, foram emitidas 44.254 notificações – praticamente a metade dos casos de dengue. Ainda no mesmo período, foram emitidas 16.316 confirmações da febre.

Apesar de menores em relação às outras arboviroses, os números de notificação e confirmação de casos de zika superam as estatísticas de 2015. De janeiro a julho de 2016, foram feitas 10.656 notificações e 147 confirmações da doença. No ano passado, foram registrados 1.386 prováveis casos da doença desde o início da obrigatoriedade das notificações, em dezembro.

Microcefalia
Desde agosto de 2015 até o último sábado (16), a SES registrou 371 bebês com microcefalia. Desse total, 179 tiveram resultado laboratorial para zika, segundo exames feitos pelo Centro de Pesquisa Aggeu Magalhães/Fiocruz e pelo Instituto Evandro Chagas. Ainda foram notificadas outras 2.061 crianças que provavelmente possuem a malformação congênita.

A Secretaria ainda registrou 77 mortes de bebês com microcefalia, sendo 39 natimortos e 38 neomortos, cujo óbito ocorreu logo depois do nascimento. Segundo a SES, nenhum dos casos teve a microcefalia como causa principal da morte.

A partir de 2 de dezembro, a pasta também passou a registrar gestantes com exantemas e, desde a data, foram contabilizadas 4.402 mulheres grávidas com manchas vermelhas espalhadas pelo corpo – sintoma presente no diagnóstico das três arboviroses, mas que não significa, necessariamente, casos suspeitos das doenças.

 

Do G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *