Pernambuco tem 4º maior número de bloqueios e cancelamentos do Bolsa Família

Cartões do bolsa família apreendidos com adolescente em Bezerros, PE (Foto: Divulgação/ Polícia Civil)

 

 

 

Pernambuco é o quarto estado com o maior número de bloqueios e cancelamentos de contas do Bolsa Família. Segundo o governo federal, foram constatadas irregularidades em 82.230 benefícios. Desse total, 47.481 foram bloqueados e 34.749, cancelados. O estado só ‘perde’ para São Paulo (156.529), Bahia (132.652) e Minas Gerais (82.230), sendo o segundo no Nordeste.Os dados estão no site do Ministério do Desenvolvimento Social  e Agrário (MDSA).

Na segunda-feira (7), o ministério divulgou o resultado de um pente-fino realizado no programa, que identificou problemas em 1,1 milhão de contas em todo o país. De acordo com a pasta, ao todo, 469 mil benefícios foram cancelados e 654 mil, bloqueados. Em todos os casos, o governo constatou que as famílias tinham uma renda superior à que se exige para ter acesso ao pagamento.

Entre os municípios, o Recife é o sétimo com a maior quantidade absoluta de cancelamentos de benefícios concedidos pelo programa social. Na capital pernambucana, o ministério cortou o auxílio a 3.378 beneficiários.

A cidade também está entre as dez cidades que apresentaram a maior quantidade de bloqueios, que consistem na suspensão do benefício até a irregularidade ser comprovada. Foram 4.147, o que coloca a cidade na nona posição do ranking.

Outra localidade pernambucana que aparece na lista é Fernando de Noronha, que teve o sétimo maior número relativo de bloqueios, quando se considera a quantidade absoluta em relação ao total de contas. No arquipélago, 20% dos beneficiários tiveram o pagamento suspenso.

O Bolsa Família é voltado para famílias em extrema pobreza, com renda per capita mensal de até R$ 85,00, e para famílias pobres, com renda per capita mensal entre R$ 85,01 e R$ 170,00.

O cancelamento do benefício foi determinado para famílias que, segundo o pente-fino, têm renda per capta acima de R$ 440. Já o bloqueio foi aplicado nos casos em que o ministério verificou renda familiar per capita entre R$ 170 e R$ 440.

Os cancelamentos e bloqueios serão informados via extrato bancário ou pelo aplicativo de celular do Bolsa Família. O comunicado trará o motivo do corte e os procedimentos que deverão ser tomados. O prazo de regularização será de três meses. (G1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>