PMs viajam para garantir segurança das eleições no interior do estado

Policiais

 

 

 

Centenas de policiais militares viajaram, na manhã dessa quinta-feira (29), do Recife para o interior do estado, onde atuarão na segurança das eleições. Nesta manhã, 300 policiais embarcaram para o Sertão do estado. Eles saíram da Ilha do Retiro, na região central da cidade. Na sexta-feira (30), mais 700 policiais também viajam, para cidades do Agreste e da Zona da Mata pernambucana. Ao todo, o efetivo vai atuar em 3.300 pontos de votação.

De acordo com o coronel Carlos D’Albuquerque, comandante geral da Polícia Militar, o planejamento inicial é para que o grupo atue no primeiro turno das eleçições. “Nossos policiais serão lançados na segurança das eleições, garantindo a tranquilidade do pleito, assim como serão incorporados ao efetivo para garantir a segurança pública do estado”, afirmou o comandante.

Efetivo
A eleição deste ano contará com efetivo 11% menor no número de policiais na Região Metropolitana do Recife e no interior do estado. Ao todo, serão 13.056 policiais militares e civis. Em contraponto, a Polícia Federal (PF) promete um aumento de 100% no efetivo para investigar crimes eleitorais ocorridos no domingo (2). Entretanto, o superintendete da PF não informou a quantidade de agentes envolvidos por motivos de segurança. [Veja vídeo acima]

Os dados foram repassados pelo secretário de Defesa Social, Alessandro Carvalho, na manhã desta quinta-feira (29), durante coletiva de imprensa na sede da pasta. Apesar da queda no quantitativo de policiais, ele alega que haverá uma melhor logística. Serão 12.111 PMs e 945 policiais civis. Os delegados irão trabalhar em regime de plantão, das 8h às 20h no dia.

“Nós vimos que havia distribuições de urnas de centros regionais para locais de votação com uma antecedência que não era necessária. Então, nós atrasamos um pouco essa distribuição para o local de votação e com isso nós otimizamos. Agora, são mais policiais nas ruas para tomar conta da segurança como um todo”, defende. Ele ainda garante que não haverá prejuízo para a segurança do pleito. (G1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *