Polícia pede mais prazo para concluir inquérito sobre morte de jovem que levou tiro de borracha de PM

Resultado de imagem para Polícia pede mais prazo para concluir inquérito sobre morte de jovem que levou tiro de borracha de PM

Polícia Civil de Pernambuco pediu prorrogação do prazo para concluir o inquérito sobre o homicídio de Edvaldo Alves, 21 anos, atingido por uma bala de borracha por um policial militar, no dia 17 de março, em Itambé, na Mata Norte de Pernambuco. O caso ocorreu durante um protesto contra a violência na cidade, distante 92 quilômetros do Recife. O rapaz faleceu na terça-feira (11), no Hospital Miguel Arraes, em Paulista, onde ficou internado. .

De acordo com a assessoria de comunicação da Polícia Civil, a extensão do prazo é necessária para aguardar o resultado da perícia tanatoscópica, determinante na causa da morte. Esse laudo precisa ser anexado ao inquérito criminal para que o mesmo seja concluído.

Manifestante baleado por PM em Pernambuco, Edvaldo da Silva, ao lado do irmão [esq.] durante sua festa de aniversário (Foto: José Roberto da Silva/Acervo Pessoal)

Manifestante baleado por PM em Pernambuco, Edvaldo da Silva, ao lado do irmão [esq.] durante sua festa de aniversário (Foto: José Roberto da Silva/Acervo Pessoal)

Por meio de nota, a Polícia Civil informa que, apesar de o prazo legal permitir mais 30 dias para a conclusão, o inquérito seguirá para o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) ainda este mês. A corporação diz, ainda, que todas as testemunhas já foram ouvidas. Algumas deleas, acabaram sendo convocadas para prestar depoimento novamente, incluindo os dois PMs envolvidos na ação.

Por fim, a Polícia Civil afirma que se solidariza com a família da vítima e com a população. E reafirma o “compromisso de esclarecer o caso, com seriedade e isenção, como é dever da polícia”.

Edvaldo Alves passou por vários procedimentos médicos no Hospital da Restauração. De acordo com a unidade, ele ferimentos na coxa e passou a respirar com a ajuda de aparelhos. Também teve que se submeter a sessões de hemodiálise.

O Governo de Pernambuco informou que está respeitando o luto da família e reinterou que vai pedir à Procuradoria Geral do Estado (PGE) que repare a perda da família do rapaz que morreu, como o governador Paulo Câmara havia dito.

Entenda o caso

O rapaz levou o tiro durante um ato público contra a violência na cidade. Além do jovem, outros moradores fecharam a rodovia PE-75 por várias horas, pedindo mais segurança. As imagens mostram uma discussão entre a vítima e uma mulher, com policiais em volta. Em seguida, é possível ver um policial perguntando: “É esse quem vai levar um tiro primeiro?”. O PM chama um colega armado e aponta o rapaz. Um tiro é disparado. Atingido, o homem cambaleia e cai no chão.

Após atirar, os policiais o arrastam pelo asfalto até a viatura da Polícia Militar, batem no rosto dele e o colocam na parte de trás da caminhonete. O veículo então deixa o local, sob gritos dos manifestantes. De acordo com a Secretaria de Defesa Social (SDS), a bala era de borracha. (G1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>