Professores da UFPE entram em greve a partir desta quarta-feira (16)

Resultado de imagem para UFPE de Serra Talhada

 

 

 

Professores da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) entraram em greve por tempo indeterminado desde o início desta quarta-feira (16). O movimento, deflagrado em assembleia na sexta-feira (11), tem como objetivo reforçar a mobilização nacional contra a Proposta de Emenda Constitucional  (PEC) do teto dos gastos da União, que vai tramitar no senado como PEC 55.

A decisão de deflagrar a greve foi tomada em uma votação com placar apertado. Foram 367 votos a favor e 347 votos contra a paralisação.

Os docentes também protestam contra o Projeto de Lei Complementar 257 (PEC 257/16), que estabelece o Plano de Auxílio aos Estados e ao Distrito Federal e medidas de estímulo ao reequilíbrio fiscal. As novas regras, segundo a categoria, trazem a perda dos direitos trabalhistas e cortes nas áreas de educação e saúde.

No início da manhã desta quarta, professores começaram a mobilização nas proximidades da reitoria da UFPE, na Cidade Universitária, na Zona Oeste do Recife. Eles distribuíram panfletos para explicar os motivos da paralisação.

A greve dos professores terá impacto menor em relação em outros movimentos realizados na UFPE. Vários prédios da instituição de ensino estão sem atividades por causa  de ocupações feitas por estudantes contrários à PEC 55.

Atualmente, segundo a UFPE,  estão ocupados os centros acadêmicos de Vitória (CAV), do Agreste (CAA), de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH), Artes e Comunicação (CAC), Ciências Jurídicas/Faculdade de Direito do Recife (CCJ/FDR) Educação (CE) e Biociências (CB), além do Núcleo de Educação Física e Desportos (NEFD), do Departamento de Enfermagem e dos Núcleos Integrados de Atividades de Ensino (Niates) CB-CCS e CFCH-CCSA.

Direito
Na noite de quinta-feira (10), alunos contrários a PEC do teto dos gastos da União ocuparam a Faculdade de Direito do Recife, na área central da cidade. No sábado (12), a Justiça de Pernambuco determinou o fim do movimento.

Ne mesmo dia, o Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5) derrubou a liminar que determinava a reintegração de posse da Faculdade de Direito do Recife, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). A decisão do desembargador Carlos Rebêlo Júnior saiu  após pedido da Defensoria Pública da União em Pernambuco (DPU-PE), que foi acionada pelos estudantes que ocupam o prédio.

Outros movimentos
Bem no fim do ano letivo, as unidades que contam com os atos de protesto estão sem aula. Os professores da UFPE, da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) e da Universidade de Pernambuco (UPE) decretaram greve nos últimos dias.

Mais cedo, ainda na quinta, o Núcleo de Educação Física e Desportos (NEFD), da UFPE, também foi ocupado. De acordo com a assessoria de imprensa da UFPE, ainda não foi definido um novo calendário de provas e de reposição de aulas. (G1)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>