Secretário de Sertânia e servidor do Detran de PE são presos em operação

whatsapp_image_2016-08-17_at_10.06.34

 

 

 

Um secretário do município de Sertânia e um servidor do Departamento Estadual de Trânsito em Arcoverde, no Sertão de Pernambuco, foram presos durante a “Operação Cidade Alta”. De acordo com a Polícia Civil, o secretário municipal, de 54 anos, é suspeito de adulterar os sinais identificadores de veículos.

A polícia informou que o servidor do Detran, de 32 anos, trabalhava como assistente de trânsito. Ele é suspeito de confeccionar Certificados de Registros e Licenciamentos de Veículos com os sinais identificadores adulterados pelo secretário de Sertânia, conforme a Polícia Civil.

Segundo a assessoria, um presidiário – que teria participado da explosão do muro da Penitenciária Professor Barreto Campelo – foi preso com cinco armas. Ele realizava roubos a carros, bancos e casas lotéricas no Agreste de Pernambuco. A polícia informou ainda que um dos suspeitos foi preso enquanto traficava drogas na frente da Delegacia de Polícia Civil em Caruaru.

A Polícia Civil disse que foram presas 17 pessoas, dentre elas quatro mulheres. Na Operação, foram apreendidas 11 armas, 34 munições, nove carros e uma moto.

Líder morto pelo comparsa

O líder do grupo foi morto em 9 de abril deste ano, segundo a assessoria. O delegado Luiz Bernando disse que o líder foi morto por um comparsa, que foi preso no município de Tacaimbó, no Agreste. “Houve uma troca de tiros, ele foi baleado, embora teve alta e foi recolhido para o Presídio de Pesqueira”.

Grupo financiado pelo tráfico

O delegado Luiz Bernardo disse que as investigações tiveram início após o assalto a um casal de empresários em Caruaru, no Agreste. “Eles [o casal] procuraram a delegacia de Caruaru dizendo que tinham sido vítimas de um assalto. Instauramos inquérito e teve início a ‘Operação Cidade Alta'”.

O delegado disse que o grupo era financiado pelo tráfico de drogas – foram apreendidos 7,5 kg de cocaína. “O comércio de drogas estava financiando a organização criminosa, porque era uma atividade onde o volume de dinheiro é grande e rápido. A clonagem de veículos requer maior complexidade. Eles preferiam veículos de fácil comercialização”, explicou Luiz Bernardo.

Entenda o caso

Uma operação da Polícia Civil – denominada “Cidade Alta” – cumpre nesta quarta-feira (17) 14 mandados de prisão temporária e oito de busca e apreensão contra uma associação criminosa em Recife, Gravatá, Caruaru, Arcoverde e Sertânia, em Pernambuco, e Maragogi, em Alagoas. Segundo a polícia, o grupo é suspeito de roubo, adulteração de sinais identificadores de veículos, porte ilegal de arma de fogo e tráfico de drogas. (G1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *