Seis celulares e 8 armas brancas são achados por dia em presídios de PE

Armas e celulares aprendidos em presídios dePernambuco (Foto: Ascom/ Seres)

 

 

No primeiro semestre de 2016, a Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres) apreendeu 1.463 armas brancas e 1.240 celulares em unidades do sistema penitenciário de Pernambuco.  Isso significa que, a cada dia, os agentes recolheram, em média, oito facões, foices e facas improvisadas, além de seis telefones.

Nessa sexta-feira (22), os agentes da Seres fizeram mais uma apreensão de arma de fogo. Foi a 15ª recolhida este ano. O revólver calibre 38 foi encontrado durante inspeção realizada no Presídio Juiz Antônio Luis Lins de Barros (PJALLB), no Complexo do Curado, na Zona Oeste do Recife.

Na ação, os agentes penitenciários recolheram também 16 projéteis e mais armas brancas. Entre eles, cinco facões industriais, 27 facas industriais e três foices artesanais.

Também foram recolhidos mais 11 celulares,18 carregadores, quatro chips, quatro pen drives, seis baterias de telefone e 11 fones de ouvido. Os agentes encontraram, ainda, 1,2 quilo de maconha, 65 gramas de crack e cinco balanças para pesar drogas.

Crise

O Sistema Penitenciário de Pernambuco passa por uma crise. Este ano, foram registradas mortes, fugas em massa e rebeliões. Os presos da Barreto Campelo, em Itamaracá, no Grande Recife, foram flagrados fazendo churrasco com gatos abatidos na unidade.

O problema maior, no entanto, é no Complexo do Curado, na Zona Oste do Recife, onde ocorreu a apreensão do revólver, nesta sexta-feira (22). Em junho, uma comitiva da Organização dos Estados Americanos (OEA)  denunciou a situação do presídio e apontou a permanência violações dos direitos humanos, verificadas anteriormente. (G1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *