Serra-talhadense é destaque na maior competição de triatlo do Brasil

Alexandre Brandão passou oito meses treinando para o seu primeiro Ironman (Foto: Raissa Matias/GloboEsporte.com)

 

 

 

 

Pela primeira vez, Alagoas entrou no calendário do Ironman Brasil, principal prova de triatlo do país. O evento, que foi realizado na orla alagoana, contou com a presença de atletas de 12 países, mas o pódio foi brasileiro. Francisco Sartore, de Santos, e Vanessa Gianinni, de Campinas, foram os campeões da prova, que começou de madrugada e teve 1,9 km de natação, 90 km de ciclismo e 21.1 km de corrida.

Do litoral paulista, Francisco, o Chiquinho, como é conhecido, completou a prova com o tempo de 4h05min53seg. Foi o mais rápido entre os homens. Ele foi um dos primeiros a sair da água e se manteve entre os líderes no ciclismo e corrida, garantindo o melhor tempo.

– Estou muito feliz, foi uma ótima prova e a Unlimited Sports deu mais um show de organização. O percurso foi maravilhoso, não ventou e todo o povo da cidade apoiou e respeitou os atletas. Estão todos de parabéns – disse o atleta que começou no esporte em 2005 e já tem mais de 17 provas na bagagem.

Ex-atleta profissional, Vanessa retornou às competições depois de dois anos longe das provas. Em boa forma, a triatleta fez bonito em Alagoas, terminou o evento com o tempo de 4h26min06seg. Com as conquistas, os dois atletas garantem vaga para o Mundial, que será disputado em Nelson Mandela Bay, na África do Sul, nos dias 1 e 2 de setembro de 2018.

– A prova Maceió é incrível e foi perfeita. A organização fez um excelente trabalho e, com certeza, estarei aqui de novo no ano que vem – comentou Vanessa, que chegou com quase dez minutos de vantagem para a segunda colocada.

O Ironman 70.3 contou com a presença de mil atletas, que representaram os cinco continentes. Os atletas tiveram todo apoio da torcida local, que marcou presença na Praia de Pajuçara para ver de perto disputas bastante acirradas.

Na raça

Alexandre Brandão é pernambucano. Tinha problema de saúde, precisou perder 16 kg, deu uma guinada na vida e hoje é triatleta. Decidiu encarar a sua primeira prova do Ironman, e com muita garra conseguiu completar a prova e, de quebra, deu show para sua família, que veio de Serra Talhada, interior pernambucano, para vê-lo competir.

– A experiência é fantástica. Saí do Sertão, consegui trazer toda a família para cá para fazer essa prova. É uma superação pessoal, o cabra treina e se desafia. E aqui é incrível, a população apoia, não teve um momento que você passasse em um trecho desse e o pessoal não aplaudisse. Isso dá um prazer danado, é o que vai movendo a gente… Às vezes você pensa em desistir, mas aí vem alguém do nada, que nem te conhece, e fala “bora, vai!”, muito emocionante.

Presidente da Federação Alagoana de Triatlo (Faltri) e também triatleta, Adriana Mangabeiras destacou a importância de ter uma prova internacional em Alagoas.

– Esse foi um sonho realizado. Desde 2001, quando eu comecei a fazer triatlo, eu sempre olhei essas condições climáticas, a beleza do nosso estado, e sempre visualizei uma prova desse porte aqui. É uma emoção enorme receber uma prova internacional, com tanto atletas, com as pessoas deslumbradas com a nossa beleza natural. A gente só tem a agradecer e tentar transformar Maceió na capital do triatlo no Brasil, porque beleza natural e condições climáticas não falta.

Confira os resultados do Ironman 70.3:

Masculino

1) Francisco Sartore (BRA/M3539), 4:05:53
2) Bonieck Clemente (BRA/M3034), 4:10:24
3) Daniel Ruman Rodrigues (M2529), 4:10:58

Feminino

1) Vanessa Gianinni (BRA/F3539), 4:26:06
2 ) Luca Glaser (BRA/F2529), 4:35:48
3) Paula Ponte Moreira (BRA/F1824 ), 4:40:40

Do Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *