A seleção da discórdia no hospital de Serra Talhada

Paulo Câmara abre 258 novos leitos no Sertão para enfrentamento à ...

 

 

O resultado do processo seletivo para atuar no Hospital de Campanha e no Hospital Eduardo Campos em Serra Talhada virou alvo de acusações e revoltas na cidade após o vazamento de alguns áudios nas redes sociais. Nos arquivos, aparecem dois supostos pré-candidatos de oposição lamentando o descumprimento de um acordo com integrantes da Casa Civil, que deveriam ter aprovado pessoas de uma suposta lista pré-definida.

Um dos acusados é o vereador Pinheiro do São Miguel (PTB), que aparece afirmando que uma lista com aliados foi levada para a Casa Civil e que o suplente do senador Waldemar Oliveira teria ficado contrariado por não terem sido aprovados no certame. “Realmente foi lamentável viu, Francisco. Waldemar tá revoltado com a Casa Civil. A gente fez umas indicações, claro, pra ficar entre a gente, e você foi bem e tudo… Teve muitos como você com o currículo bom, e não tiveram consideração com o grupo da gente”, diz o áudio.

Em outro áudio, supostamente do pré-candidato a vereador conhecido como Ryncon (PR), lamenta que um nome da sua “lista” também foi cortado. “Vou ter que tirar uma pessoa minha para colocar essa filha sua aí, uma pessoa que vota em mim, veja só”.

Em entrevistas aos veículos locais de comunicação, os envolvidos afirmaram que não houve nenhuma intromissão no processo seletivo, mesmo assim não impediu que vários candidatos desclassificados iniciassem um movimento nas redes sociais pedindo o esclarecimento do caso.

Resta saber se o Ministério Público do Estado vai atender as solicitações e revelar se houve ou não a interferência de pessoas ligadas à política municipal e qual o nível do envolvimento dessas pessoas.

Com o homem dos cálculos > Líderes do Solidariedade irão promover nesta sexta-feira (31), uma videoconferência para pré-candidatos e dirigentes do partido com o economista e especialista em cálculos eleitorais, Maurício Romão. A intensão do grupo é para que os pré-candidatos se preparem para os desafios da campanha eleitoral por meio da internet, principalmente por conta do isolamento social necessário para combater a pandemia.

PSB em chamas > Em Arcoverde, a presidente da Câmara de Vereadores, Célia Galindo (PSB) tem nas mãos o poder de levar adiante a Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI, aprovada pela Casa, para investigar supostos desvios da gestão da prefeita Madalena Brito (PSB), em um programa social com suposta atuação de laranjas. O caso, que dizem ser antigo, pode mudar os rumos das eleições por lá.

A multa de Valadares > O Tribunal de Contas do Estado divulgou informações sobre a Auditoria Especial que analisou as despesas, licitações, contratos administrativos e previdência no período de janeiro a abril de 2019, que ocorreram na Prefeitura Municipal de São José do Egito. De acordo com as informações, a Segunda Câmara esteve reunida no último dia 23 de julho e aplicou multa de R$ 12.707,25 ao atual prefeito do município, Evandro Valadares.

Saiu do controle > O vereador Luiz Besourão (PSB) em Afogados da Ingazeira soltou um “vai se lascar” durante a sessão ordinária online desta semana. No vídeo, o xingamento aparentava ter sido direcionado para o presidente da Câmara, Igor Mariano, que disse não ter havido motivação para a quebra de decoro. Já Luiz afirmou que não sabia que o microfone estava aberto e xingou outra pessoa.

Da Folha de PE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *