Agricultores podem se cadastrar em programa de aquisição de milho no Sertão de PE

Image result for Agricultores podem se cadastrar em programa de aquisição de milho no Sertão de PE

 

 

 

 

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) recebeu 700 toneladas de milho para serem comercializadas através do Programa de Aquisição de Milho com agricultores de Petrolina, Dormentes, Lagoa Grande e Santa Maria da boa Vista. Através do subsídio da Conab, Governo Federal e da parceria da Prefeitura de Petrolina, a saca de milho é vendida por R$33.

De acordo com o sindicato de trabalhadores rurais de Petrolina estão aptos a participar do programa 748 agricultores em Petrolina, 137 em Dormentes, 163 em Lagoa Grande e 49 em Santa Maria da Boa Vista.

O cadastro deve ser feito na sede do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Petrolina, que fica na Avenida Das Nações, no bairro Gercino Coelho. É preciso apresentar o imposto sobre a Propriedade Territorial Rural 2016 ou Declaração de Aptidão ao Pronaf. Além da conta de energia da propriedade, cópia da identidade e do CPF, ficha sanitária atualizada e o cadastro impresso frente e verso assinado pelo titular e cadastro ambiental rural.

O agricultor Gilson Barbosa do distrito de Pau Ferro, na Zona Rural de Petrolina, já pegou o boleto do Programa de aquisição de milho. “Se não fosse isso, o custo seria maior para a criação de caprinos e ovinos, mas desde do ano passado, que a gente tira. Tiramos da seca do ano passado todinha e agora já começamos a tirar novamente”, revela.

Lidiane é representante da Associação Do Icozeiro no Projeto Pontal e diz que mesmo com a chuva que chegou ao Sertão, nos últimos meses, o milho subsidiado pela Conab garantiu alimento para rebanhos. “Faz muita diferença sim, bem grande, uma economia grande para gente que somos agricultores”.

O cereal chegou na semana passada, foi ensacado e está armazenado no galpão da Conab, que fica no Porto Fluvial de Petrolina. Depois, o milho é transportado para as comunidades de graça pela prefeitura. O material é recebido pelas associações e depois distribuído entre os agricultores. (G1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *