Croácia x França: Uma final com cara de revanche

Modric e Kanté devem travar duelo disputado durante a decisão

 

 

 

 

Há 20 anos, a Croácia do artilheiro Davor Suker encantou o planeta. Mas ela não foi perfeita, e viu seu caminho na Copa do Mundo de 1998 ser interrompido, após cair diante da seleção que conquistaria, posteriormente, o título: a então anfitriã França. Apesar do longo intervalo de tempo entre aquela semifinal e a grande decisão desta Copa de 2018, que será disputada, às 12h deste domingo, um certo ar de vingança parece rondar o Estádio Olímpico de Luzhniki, na Rússia. Missão difícil, no entanto, será transformar esse sentimento em vitória. Afinal, há um favoritismo claro para este duelo, e ele tem um sotaque francês, embalado por jovens jogadores, que esbanjam velocidade e talento.

Tal qualidade foi comprovada pelos franceses durante todo o percurso que os comandados do técnico Didier Deschamps fizeram até a chegada à final. Após passar na primeira posição do Grupo C, eliminaram Argentina, Uruguai e Bélgica. Nos seis jogos que a França disputou, ganhou cinco duelos e empatou um. Existe também uma regularidade com relação ao seu ataque, pois o time conseguiu chegar ao gol adversário em cinco desses seis jogos. Apesar de saber que terá um adversário com bom valor individual – principalmente do meio pra frente -, Deschamps deve manter seu estilo de jogo, que privilegia a manutenção da posse de bola e os ataques organizados.

Sua força ofensiva causa inveja. Destaque para Griezmann, o grande organizador do ataque. Perguntado sobre a possibilidade de conquistar a Bola de Ouro, no entanto, o jogador falou sem rodeios. “Esta é uma oportunidade de ganhar a Copa do Mundo. Não me importo com a Bola de Ouro”, disse o atacante, que voltará a atuar ao lado de Giroud e do garoto Mbappé, outro grande personagem desta competição. Desconsiderar a defesa francesa seria também um erro. Durante a Copa do Mundo, a seleção sofreu gols em apenas dois dos seis jogos.

Pelo lado croata, a equipe comandada pelo técnico Zlatko Dalic chega para esta final motivada depois de ter superado, de virada, na prorrogação, a Inglaterra após um empate em 1×1, no tempo normal. O caminho da Croácia na Copa do Mundo contou também com as eliminações de Dinamarca e Rússia. Na primeira fase, a seleção se classificou como líder do Grupo D. Ao todo, nos seis jogos, foram três vitórias e três empates no tempo regulamentar, na fase eliminatória, sendo que contra a Rússia e Dinamarca a vitória veio nas penalidades, e contra a Inglaterra o gol da vitória ocorreu na prorrogação. Este fato, inclusive, divide opiniões. Chegaria a Croácia mais “cascuda”, por conta de classificações heroicas ao longo do certame, ou prejudicada fisicamente? Essa resposta só será respondida quando a bola rolar no Luzhniki.

Para o jogo, o técnico Zlatko Dalic deverá optar pelo 4-3-3, com certa aposta nas transições rápidas para o ataque, principalmente através do lado esquerdo. Para desempenhar essa função, vale destacar Perisic que é um lateral muito ofensivo e um jogador muito rápido nos contra-ataques. Mas o grande nome desta equipe é o maestro Luka Modric, fundamental na construção de jogadas ofensivas. Por outro lado, o ponto mais fraco desta seleção está relacionado ao seu setor defensivo, tendo sofrido gols em quatro dos seis jogos (ao todo, cinco tentos).

FICHA DE JOGO

FRANÇA

H. Lloris, R. Varane, B. Pavard, S. Umtiti, L. Hernández, B. Matuidi, P. Pogba, N. Kanté, O. Giroud, A. Griezmann, K. Mbappé. Técnico: Didier Deschamps

CROÁCIA

D. Subašic, D. Lovren, Š. Vrsaljko, D. Vida, I. Strinic, I. Rakitic, I. Perišic, M. Brozovic, L. Modric, M. Mandžukic, A. Rebic. Técnico: Zlatko Dalic

Local: Estádio Olímpico de Luzhniki
Horário: às 12h (Brasília)
Árbitro: Néstor Pitana (ARG)
Assistentes: Hernan Maidana e Juan Belatti (Ambos da ARG)
Transmissão: SporTV, FoxSports, Rede Globo

Da Folha de Pernambuco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *