Daniel Paulista se diz mais maduro e evita em falar em efetivação no Sport em 2018

Paulo Paiva/ DP

 

 

 

Daniel Paulista garante que não é o mesmo de quando assumiu o Sport pela última vez. Interino na reta final da Série A do ano passado e efetivado para o início desta temporada, o treinador passou os últimos sete meses novamente como auxiliar no Sport. Mas assegura que o período foi de aprendizado. Hoje, se diz mais maduro para a função, embora evite falar sobre uma nova efetivação no cargo caso consiga novamente salvar o time do rebaixamento no Brasileiro.

Ao assumir o Leão de novo nas últimas oito partidas da competição, Daniel Paulista diz que o momento não é planejar o futuro. Assegura que pensa apenas em livrar o Sport da degola. “Não vamos entrar no assunto de projeção. Eu trabalho muito com o presente e o presente é fazer o fim de temporada com o Sport com o maior empenho que puder”, disse.

Diante desse desafio, ele conta que está mais habilitado que antes para conduzir o Rubro-negro após ter sido auxiliar de Ney Franco e de Vanderlei Luxemburgo durante esta temporada. “Acho que volto mais maduro, mais experiente, mais vivido com relação à profissão, a algumas coisas que fiz, que deixei de fazer e que poderia ter feito. Tive oportunidade de trabalhar com dois profissionais de conceitos diferentes e estou mais confiante para estar junto dos atletas e fazer vitoriosa esta reta final de campeonato.”

Daniel fez questão de destacar o aprendizado na convivência com Luxa em cinco meses no clube. “Gostaria de deixar uma mensagem de agradecimento pelo apoio, parceria e liberdade que ele me deu para trabalhar. Isso serviu muito de aprendizado, uma bagagem importante para o meu desenvolvimento. Deixo o meu sentimento a ele, que foi um amigo que fiz”, pontuou.
Depois de Luxemburgo ter caído de rendimento com o time no segundo turno da Série A, em que o Sport segue ameaçado pelo rebaixamento, Daniel deseja que o elenco deixe tudo de ruim dessa etapa da competição para trás. Tem passado essa filosofia para o grupo. “Conversei com os atletas. Não adianta ficar remexendo o que aconteceu. Tem que focar nos jogos que restam. Não vamos mudar o que passou, mas a gente pode escrever uma nova história”, frisou o interino.
Do Diário de Pernambuco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *