Denúncias de violência contra o idoso aumentam 38,8% em Pernambuco em 2018

Denúncias podem ser feitas ao Centro Integrado de Atenção e Prevenção à Violência contra a Pessoa Idosa — Foto: SES/MT

 

 

 

O número de denúncias de violência contra idosos cresceu 38,8%, em Pernambuco, entre os anos de 2017 e 2018. O levantamento foi feito pelo Centro Integrado de Atenção e Prevenção à Violência contra a Pessoa Idosa (Ciappi), programa vinculado ao governo do estado.

De janeiro a novembro do ano passado, foram registradas 379 denúncias intrafamiliares de violações dos direitos dos idosos, o que equivale a 106 casos a mais que em 2017. Segundo o secretário de Justiça e Direitos Humanos de Pernambuco, Pedro Eurico, o tipo de agressão mais frequente é a negligência, que configura violência intrafamiliar ou doméstica.

As denúncias abrangem falhas nos cuidados do idoso, como abandono, maus-tratos por pessoas com laços de sangue, como pais e filhos, ou unidos de forma civil, como marido e esposa, e ainda genro e sogra.

“Uma questão que nos preocupa é a violência financeira. É quando os benefícios financeiros são objetos de violência dos familiares. Quando se toma cartão, se compromete o rendimento com financiamentos e créditos consignados, por exemplo. O idoso fica impossibilitado de ter seu benefício ou aposentadoria”, afirma Pedro Eurico.

Ainda segundo o secretário, a maioria dos atos de violências contra as pessoas idosas é praticada pelas próprias famílias. “Os maus-tratos não ocorrem só na rua, no trânsito e no transporte público, mas nas residências. Às vezes, o idoso fica sem direito sequer a um medicamento, a uma fisioterapia ou mesmo alimentação”, diz. (G1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *