Enterro de vítimas do deslizamento emociona amigos e parentes no Recife

O cortejo do enterro da avó Lucimar Alves e da neta Daffyne Kauane Alves foi acompanhado com emoção pela família e amigos

 

 

Os corpos de Lucimar Alves, 50, e Daffyne Kauane Alves, 9, vítimas do deslizamento de barreira no Córrego do Morcego, em Dois Unidos, foram sepultados na manhã dessa quarta-feira (25), no cemitério de Santo Amaro, na área central do Recife. O velório foi acompanhado por familiares e amigos que, bastante comovidos, se despediram da avó e neta perdidas em soterramento na véspera do Natal.

A irmã de Lucimar, Cristina Gomes da Silva, que sobreviveu ao acidente, foi liberada do Hospital da Restauração e acompanhou a despedida, ainda com algumas marcas do acidente no rosto e nos braços. Em todo momento, ela foi amparada pelos filhos e sobrinhos. Um deles falou que já estava tudo pronto para a celebração do Natal. “A gente ia se reunir na casa dela (Lucimar). Já estávamos com tudo separado. A família é grande e é sempre festa”, disse o sobrinho da vítima, Adriano Araújo, de 31 anos.

O viúvo, Otoniel Simião da Silva, de 57 anos, dormia com a esposa no momento do acidente. Ele, que foi levado para a UPA de Nova Descoberta e depois liberado com ferimentos leves, disse ter perdido uma mulher exemplar. “Ela era uma mãe e avó incrível. Perdi uma grande esposa, que eu estava casado há oito anos e sempre morando naquela mesma casa. Só me lembro do tumulto acontecendo e eu sendo resgatado até saber que não tinha mais ele e nem a netinha”, disse, também reforçando: “já houve um deslizamento como esse e nada foi feito. Se não tomarem providências, ocorrerá de novo”.

Por lá, o avô materno de Daffyne contou que estava trabalhando no bairro de Aguazinha, em Olinda, quando soube do acidente. “Recebi a notícia e fiquei desesperado. Perdi a minha única neta”, disse Aldemir dos Santos, de 42 anos. Abalada, a mãe da menina não conseguiu acompanhar o velório. O pai da pequena e filho de Lucimar, o vendedor Jean Pierre, também precisou ser amparado pelos familiares. No fechamento do caixão, os presentes cantaram e fizeram orações. Aplausos e muita comoção acompanharam a despedida.

Ainda nesta quarta-feira, às 15h, acontecerá, também no cemitério de Santo Amaro, o enterro de Cláudia Bezerra, de 47 anos, mais uma vítima fatal da tragédia. Ela estava com Lia de Oliveira, 45, cujo o corpo foi liberado nesta quarta (25) do Instituto Médico Legal (IML). Familiares farão o translado para o estado do Maranhão, onde ela nasceu.

Enterros
Também foram sepultados nesta manhã de quarta (25), os corpos de Érika Virgínia, 19, e seu filho, o pequeno Érick Júnior, no município de Palmares, na Zona da Mata Sul. Já o pai do menino e marido de Érika, Emanuel Henrique de França, 25, foi enterrado na tarde terça (25), no cemitério de Santo Amaro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *