Número de casos confirmados de sarampo sobe de 90 para 127 em seis dias

Vacina tríplice viral protege contra o sarampo, a rubéola e a caxumba — Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

 

 

Em seis dias, subiu para 127 o número de casos confirmados de sarampo, em Pernambuco, de acordo com os dados divulgados pela Secretaria Estadual de Saúde (SES), nessa quarta-feira (20). Isso significa que, em seis dias, houve 37 novas confirmações da doença, já que na quinta-feira (14) havia 90 diagnósticos. Até o dia 30, fica aberta a campanha de vacinação para adultos de 20 a 29 anos.

Ao todo, foram notificados 1.056 casos de sarampo em Pernambuco. Desses, 447 foram descartados e os outros seguem em investigação ou tiveram resultado de exame laboratorial inconclusivo. A única morte por sarampo foi a de um bebê de 7 meses em Taquaritinga do Norte, no Agreste, no dia 2 de setembro.

Foram confirmados casos de sarampo em 11 cidades: Taquaritinga do Norte (34), Santa Cruz do Capibaribe (32), Caruaru (17), Vertentes (14), Toritama (11), Brejo da Madre de Deus (6), Frei Miguelinho (1), Gravatá (1), Bezerros (1), Recife (9) e Jaboatão dos Guararapes (1).

A Secretaria de Saúde informou, ainda, que a investigação dos casos e vacinação de bloqueio, ações de vigilância epidemiológica, bem como a assistência ao paciente, são iniciadas logo após a notificação do caso, independente do resultado do exame laboratorial.

Essas medidas são realizadas para evitar o agravamento dos casos e propagação da doença.

Entenda o que é sarampo, quais os sintomas, como é o tratamento e quem deve se vacinar  — Foto: Infografia: Karina Almeida/G1

 

Vacinação

Até o dia 30 de novembro, fica aberta a campanha de vacinação contra o sarampo para adultos jovens, entre 20 e 29 anos. A vacina deve ser aplicada em crianças entre 6 meses e 11 meses, a chamada “dose zero”.

Ao completar 1 ano, a criança deve tomar a primeira dose e, três meses depois, a segunda . Ou seja, as crianças a partir dos seis meses de idade precisam tomar três doses do imunizante.

A partir dos 2 anos, caso o menino ou menina ainda não tenha começado o esquema vacinal, duas doses devem ser aplicadas com um intervalo de um mês entre elas.

As pessoas que têm entre 12 meses e 29 anos de idade devem tomar duas doses de tríplice viral com intervalo mínimo de 30 dias entre elas.

O público de 30 anos a 49 anos, que ainda não foi imunizado, deve tomar uma dose da vacina. Os profissionais de saúde precisam de duas doses, com intervalo mínimo de 30 dias entre elas, independentemente da idade. (G1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *