Operação São João reforça segurança em polos de animação em Pernambuco

Representantes das polícias Civil, Militar e do governo do estado apresentam detalhes da Operação São João 2018 (Foto: Carlos Medeiros/SDS/Divulgação)

 

 

 

 

Para reforçar a segurança das festas juninas, a Secretaria de Defesa Social (SDS) realiza, até 1º de julho, a Operação São João. Este ano, o esquema conta com 30.098 jornadas de trabalho para profissionais que atuam em polos de animação. O número, segundo o Governo de Pernambuco, é 22% maior do que o contido na escala cumprida por integrantes de forças policiais, em 2017.

A proposta da operação, segundo a SDS, é reforçar o policiamento em áreas de festa junina de todo o estado. “A ideia é distribuir os profissionais em todas as regiões do estado, durante todos os dias, para que a gente tenha um evento seguro e a população possa curtir a festa”, explicou o secretário-executivo de Defesa Social, Humberto Freire.

De acordo com a SDS, a ativação dos cerca de 30 mil jornadas faz com que as vagas de trabalho estejam disponíveis para um mesmo profissional atuar mais de uma vez, mas com períodos intercalados.

“Não permitimos que os profissionais emendem as escalas. Então, deve haver um período de descanso antes que eles ‘vendam’ as folgas deles para cumprir uma nova jornada de trabalho”, esclareceu Freire.

Três fases

Dividida em três fases, a operação fica, até o dia 21 de junho, no período de Pré-São João, com 12.928 postos de trabalho em todo o estado. Entre os dias 22 e 24 deste mês, o órgão criou 9.938 jornadas de trabalho para atuação dos profissionais nos locais de festa. Desse total, 1.726 são na Região Metropolitana do Recife e 5.669 são no Agreste e na Zona da Mata.

No Pós-São João, entre os dias 25 de junho e 1º de julho, a SDS estabeleceu o cumprimento de 7.172 jornadas de trabalho dos profissionais de segurança. Somente em Caruaru, um dos polos mais conhecidos do estado, foram instituídos 2.808 postos de trabalho, ativados ao longo de todo o mês de junho.

De acordo com o secretário-executivo de Defesa Social, Humberto Freire, foram empregados R$ 2,55 milhões para custear o reforço de policiais na Operação São João. A coordenação da operação é feita pelo Centro de Comando e Controle da SDS e também conta com o auxílio de centrais locais para atender às demandas geradas.

Delegacias móveis

Ao todo, 4.186 profissionais vão atuar em delegacias móveis durante o São João. O Sítio Trindade, no Recife, e os municípios de Gravatá, no Agreste, e Araripina e Petrolina, no Sertão, estão entre as localidades que recebem as estruturas.

O chefe da Polícia Civil de Pernambuco, Joselito Amaral, também reforça a possibilidade de registrar ocorrências criminosas por meio da internet. “Podem ser registradas ocorrências de menor potencial lesivo, como assaltos e furtos de até 40 salários mínimos”, afirma. (G1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *