PPS chama Luciano Huck para disputar a Presidência

Imagem relacionada

 

 

 

 

Na primeira pesquisa Ibope voltada à disputa pelo Planalto em 2018, o apresentador de televisão Luciano Huck pontuou 5%, aparecendo, assim, empatado com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB). Huck também apresenta empate técnico com o prefeito paulista, João Doria (PSDB), que ficou com 4%. Isso quando o cenário da disputa é com o ex-presidente Lula.

Ainda antes que esse desempenho de Huck fosse testado na recente amostra, divulgada, no último domingo (29), pelo Jornal O Globo, o presidente nacional do PPS, Roberto Freire, chegou a oferecer a legenda ao apresentador para que ele possa concorrer à Presidência da República.

Freire, em entrevista à Folha de Pernambuco, confirmou ter conversado com Huck, que é padrinho do “Movimento Agora!”, o qual pretende impactar a agenda pública e a ação política a partir de cidadãos comuns.

“Ele é parte desse movimento, mas nós ainda não definimos nosso presidenciável. A nossa ideia é tentar uma candidatura do campo democrático e formar uma frente que reforce esse propósito”, explica. O PPS, conforme Freire, se afastará de candidaturas extremas “como Lula e Bolsonaro”, com perfis “não democráticos”.

Levando em conta o cenário da pesquisa Ibope sem Lula, o peso de Huck sobe. No páreo com o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT), Huck vai à marca dos 8%, ultrapassando os candidatos tucanos.

O apresentador também é ligado ao RenovaBR, coletivo de renovação política, avesso à identificação com direita e esquerda, e que também tem apoio do ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga e do empresário Abílio Diniz.

“Nós tivemos com Huck e alguns intelectuais, influenciadores, gente interessada em participar da política, discutindo como exercer a política de forma legal, com capacidade de influir no processo e essas pessoas estão ponderando em que partido entrar”, informa Freire.

O ministro da Defesa, Raul Jungmann (PPS), também mencionou o encontro entre Freire e Huck, mas preferiu manter a reserva sobre a definição do presidenciável. “O senador Cristovam Buarque está sendo tratado como presidenciável, vejo as pessoas animadas com ele. Mas eu tenho estado um pouco distante do partido, por razões do meu trabalho”, alega.

Nos bastidores, acredita-se que Luciano Huck penderá para o convite do DEM, que também teria realizado sondagens, embora democratas ainda não demonstrem publicamente essa aproximação.

Recentemente, o irmão do apresentador, o cineasta Fernando Grostein Andrade, chegou a pedir publicamente que “pelo amor de Deus” Luciano não se candidate. O projeto presidencial de Huck parece contar com o apoio de empresários e formadores de opinião, inclusive como alternativa a João Doria no quesito outsider – o candidato fora do establishment, que nega a forma tradicional como se faz política.

 

Da Folha de Pernambuco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *