Santa Cruz recebe Luverdense em partida mais importante do ano e espera apoio da torcida

Resultado de imagem para torcida do santa cruz
Em 1998, Rau salvou o Tricolor da Série C. Evitou que o clube descesse ao que era, na época, a última divisão do Campeonato Brasileiro. Salvação que ganhou ainda mais relevância considerando que, em 1999, o time ascendeu à Série A. Em 2013, o caminho contrário. Flávio Caça-Rato fez o gol que selou o adeus à Série C. Os episódios marcantes na história do clube estão presentes no vídeo produzido pelo Santa Cruz para incentivar os tricolores a irem ao Arruda neste sábado, quando a Cobra Coral recebe o Luverdense, às 16h30. Um apelo para que a torcida abrace o clube, como fez no passado, para livrá-lo de mais um pesadelo.
Apesar da equipe não dar motivos para que o torcedor compareça, já que apenas uma vitória foi conquistada nos últimos 16 duelos, a esperança é que a massa coral, que já lotou o Arruda tantas vezes em momentos decisivos como este, atenda ao apelo. É necessário. “É fundamental a importância do torcedor. Quando o time joga com a torcida é diferente. Estamos numa reta final e não precisamos esperar a última partida. O torcedor tem que entender o momento e vir nos apoiar”, afirmou o técnico Marcelo Martelotte.
O pedido do técnico é mais um entre tantos feitos nas últimas semanas. Repetição que não vem surtindo efeito. Em 15 jogos como mandante, o Santa Cruz tem média de apenas 7.790 torcedores. Número baixo para um estádio que viu 55 mil pessoas apoiarem o time em 1998 e 60 mil comemorarem a saída da Série C após seis anos sofrendo nos porões do futebol brasileiro.

Escalação é segredo

Durante a semana, Marcelo Martelotte fechou dois treinos do Santa Cruz. Nas duas ocasiões, escondeu o possível time que entrará em campo neste sábado. Com os desfalques do lateral-direito Nininho, do lateral-esquerdo Yuri e do volante Derley, suspensos, o treinador esperou as recuperações de João Paulo, Tiago Costa e Natan. Só poderá contar com os dois primeiros, contudo.
As vagas nas laterais serão preenchidas por Walber e Tiago Costa. João Ananias ocupa a vaga de Derley. Situação que impede o técnico de utilizar o esquema com três volantes, como aconteceu com o Brasil-RS. “Não vou manter o que fizemos em Pelotas por conta da ausência do Derley. Não teremos três volantes. Se teremos um homem a mais no meio de campo ou no ataque eu não posso falar, porque isso muda até a postura do adversário”, explicou Martelotte.

Apenas um desfalque do lado de lá

O técnico Junior Rocha terá apenas um desfalque para o duelo com o Santa Cruz. Trata-se do meia Sérgio Mota, principal jogador da equipe do Mato Grosso. Sem ele, o técnico deve optar por Marcos Aurélio ou por Guly. Ocupando a 17ª posição, os visitantes precisam da vitória para tentar sair da zona de rebaixamento e evitar que o Santa Cruz se aproxime na tabela.

Ficha do jogo

Santa Cruz
Julio Cesar, Walber, Anderson Salles, Guilherme Mattis e Tiago Costa;Wellington Cézar, João Ananias e João Paulo; Bruno Paulo, Ricardo Bueno e Grafite. Técnico: Marcelo Martelotte.
Luverdense
Diogo Silva; Aderlan, Neguete, William e Paulinho; Ricardo, Moacir, Marcos Aurélio (Guly) e Léo Cereja; Alfredo e Rafael Silva. Técnico: Junior Rocha.
Data: 28/10/2017
Estádio: Arruda.
Horário: 16h30 (do Recife)
Árbitro: Rodolpho Toski Marques (PR)
Assistentes: Bruno Boschilia (PR) e Victor Hugo Imazu dos Santos (PR)
Do Diário de Pernambuco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *