Vídeo mostra briga de alunas em escola pública do interior de SP

 

Quatro alunos da Escola Estadual Cícero Usberti, em Valentim Gentil (SP), partiram para a agressão física, em briga que ocorreu dentro da escola na manhã da última segunda-feira (17). A imagem foi registrada por alunos da escola e compartilhadas em grupos fechados do Facebook e WhatsApp. No vídeo, duas adolescentes brigam, mas dois outros alunos, um menino e uma menina, entram na confusão e desferem uma série de golpes contra uma delas. O caso está sendo investigado pelo Conselho Tutelar da cidade.

Segundo depoimento de pessoas que estudam com as vítimas, as duas alunas seriam rivais e partiram para a agressão depois de uma troca de ofensas e empurrões. Depois de trocarem socos, uma das alunas cai e é espancada pelos outros três adolescentes com socos, chutes, bofetões e puxões de cabelos.

No fim da briga, uma outra aluna ajuda a adolescente espancada a se levantar, sem sucesso. No chão, ficaram tufos de cabelo da vítima. Após a confusão, as duas ainda marcaram uma briga que ocorreria no horário de saída da escola, mas a Polícia Militar foi chamada e o confronto não ocorreu.

Durante toda a confusão, que ocorreu no pátio da escola, nenhum servidor ou professor aparece para ajudar a conter a briga, que só termina quando os alunos resolvem parar de bater na vítima. “Ninguém apareceu na hora da briga, só a polícia chegou na hora da saída. A cara da menina ficou bem feia, um monte de tufo de cabelo no chão, mas nada aconteceu”, disse um aluno que acompanhou a briga.

Vídeo mostra briga de alunas em escola pública do interior de SP

Polêmica

A polêmica, entretanto, continuou nas redes sociais, onde uma amiga da menina espancada postou, no perfil da vítima, uma crítica pelo fato de a agressão ter sido feita em grupo. “Você não bateu sozinha não, a sua amiga e o viadinho entraram no meio. Depois não reclama”, disse.

A agressora, por sua vez, respondeu que já havia apanhado de um grupo comandado pela vítima e que não organizou o ataque, mas sim que as pessoas se juntaram à confusão por vontade própria.

O Conselho Tutelar da cidade informou ainda que já identificou os alunos que participaram da agressão e irá investigar o caso. A instituição informou ainda que irá comunicar a Polícia Civil. Procurada, a instituição disse que ainda não foi oficialmente informada sobre o caso e que, por isso, não iria comentar.

Outro lado

A direção da escola Cícero Usberti foi procurada, mas não quis se pronunciar sobre o caso, nem informar qual a idade das estudantes e dizer qual a medida disciplinar que será adotada. A reportagem tentou falar com as alunas, mas elas não responderam as mensagens deixadas em seus perfis da rede social Facebook.

Já a Secretaria Estadual de Educação informou, em nota, que “os professores da escola atuaram para apartar o conflito e acionaram os pais dos estudantes envolvidos para que contribuam com a escola na prevenção de casos lamentáveis como este registrado”.

Ainda segundo a Secretaria, uma “equipe da Diretoria Regional de Ensino de Votuporanga foi designada para acompanhar a escola e traçar novas estratégias de conscientização com todos os estudantes”.

 

Do UOL.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *